Lisboa,

quarta-feira, agosto 31, 2005

olá, amigo!

O dia 29 de Agosto deveria ter sido
um dos dias mais felizes
para ti e para mim...
Não foi!
Desculpa, amigo,
morro de tristeza!...


sexta-feira, agosto 26, 2005

messejana e eu


Foi aqui que eu nasci!
Nesta rua, uma rua comprida, desde cá de cima até à Praça principal.
Foi nesta casa amarela, à esquerda, defronte da qual o meu pai tinha uma lojeca onde vendia de tudo.
Lembro-me que, na parte de baixo, tínhamos uma sala, a cozinha e um quintal, ao fundo. No quintal, havia um poço e um forno, onde a minha mãe cozia o pão.
No andar de cima estavam os quartos para dormir, e foi num deles que eu nasci, quando já cá estavam três irmãos.
Depois disso, os meus pais presentearam-me com mais um casalinho, fazendo ao todo uma ninhada de seis filhos.
E é para esta ninhada, já que os seus autores nos deixaram há uns anos, que vai esta pequena homenagem, uma foto tirada em Messejana, numa situação "sui-generis", com uma paisagem lindíssima, um fundo encantador, umas indumentárias a preceito e seis poses naturalissimamente encomendadas.
Resta dizer que eu sou o mais bonitão, o mais bem composto e o mais profissional...
Eheheheheheheheh...


quinta-feira, agosto 18, 2005

festas em Messejana




Há muitos, muitos anos que não assistia às Festas anuais desta vila, que foi berço da minha infância.
Este ano estive lá!
E foram 4 dias para relembrar muitas vezes. Tudo o que estava anunciado realizou-se no fim de semana prolongado e quente, com a vila a abarrotar de gente forasteira. Assisti à garraiada, integrei-me na procissão, experimentei a tourada, os bailes e concertos, visitei exposições e pequeninas feiras.
A vila estava engalanada, muita gente a passear, a beber, a comer e a folgar.
Paralelamente, reencontrei cantos e recantos, relembrei aventuras, sonhos e diabruras, partilhei memórias que cada um recorda com mais ou menos precisão.
O pelourinho continua lá, o chafariz, a torre do relógio e a Igreja Matriz. São as mesmas ruas pequenas e estreitas, empedradas e gastas. São as mesmas praças, enfeitadas com as mesmas árvores e pouco mais.
"Aljustrel sempre teve medo de Messejana!" - dizem-me. "Só desde há pouco tempo a Câmara disponiza terrenos para construção. Até então, os jovens que quisessem casas novas, tinham que procurá-las em Aljustrel. Tiveram medo que a vila crescesse e rivalizasse com eles!" - desabafam.


domingo, agosto 07, 2005

ausência


De vez em quando, torno aqui!
Para, num relance, arejar a casa. Para abrir as janelas e deixar que o universo abarque o silêncio e lhe sopre vida. Mesmo que, no dia seguinte, volte a fechar-se. Não por muito tempo! Quando o amanhecer ficar tranquilo, vou voltar a ter o tempo todo e o entusiasmo para escrever e para visitar os blogues amigos.
Noutras circunstâncias, seria como um piscar de olhos.

terça-feira, agosto 02, 2005

somos todos um

video

É azul da cor do céu.
No encanto do azul, suave da luz, serpenteiam sombras reluzentes de paz.
Abertas, abraçadas.
Vão como vêm, estão como sempre. Nos olhos pululam brilhos sempre saltitantes. Dançam frenéticas. Sorriem com risos de amor.
Quando abri o abraço, despertei outra vez.