Lisboa,

sábado, dezembro 31, 2005

adeus 2005


Finda aqui o ano de 2005!
Não termina deprimido, abatido, desalentado.

Porque vem aí o seguinte que, pela ordem, é o 2006.
E esse
será aquilo que todos nós quisermos que ele seja!

olá, amigo!


Somos um só aqui na terra, somos um com o universo.



sexta-feira, dezembro 30, 2005

português premiado

Esta notícia tem dois meses, mas nunca é tarde para a relembrar: Um português premiado por trabalho em pirataria informática

Um investigador português foi esta terça-feira distinguido com o Prémio Científico IBM 2004 por um trabalho inovador que evita as consequências dos ataques informáticos, um problema que só no primeiro semestre deste ano aumentou 50%.

Nuno Ferreira Neves, professor do Departamento de informática da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, recebeu hoje o galardão, no valor de 15 mil euros, pelo trabalho «Tolerância a intrusões em sistemas informáticos», um modelo que permite os ataques, mas evita ou minimiza as suas consequências.
A atribuição deste prémio surge numa altura em que se fala cada vez mais de segurança informática e da necessidade de proteger os sistemas de intrusões indevidas.

De acordo com um relatório recente da IBM, os ataques à segurança informática estão a subir e registaram um aumento de 50% no primeiro semestre do ano, o que se traduz em 237 milhões de ataques.

O trabalho de Nuno Ferreira Neves é inovador na medida em que rompe com o modelo clássico de prevenção ou detecção de intrusões, permitindo essas intrusões, mas construindo sistemas de modo a que elas não produzam danos, ou pelo menos limitem o seu alcance.

Segundo o investigador, «não há sistemas informáticos invulneráveis e a dificuldade de construir sistemas absolutamente seguros e imunes a intrusões é real, dada a capacidade de adaptação dos atacantes». Esta tese propõe assim dotar os sistemas com os meios que lhes permitam tolerar as intrusões de um modo automático, evitando que afectem o seu bom funcionamento.

O ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Mariano Gago, que presidiu à cerimónia de entrega do prémio, destacou a «absoluta necessidade de premiar os melhores, para que os outros, sobretudo os que estão a começar na área científica, saibam a quem se devem juntar e quem devem seguir».

Mariano Gago desafiou a IBM a investir em I&D (investigação e desenvolvimento) em Portugal.

O Prémio Científico IBM, que vai na 15ª edição, é uma iniciativa que tem vindo a distinguir o que de melhor se faz em algumas áreas científicas, e na qual já participaram cerca de 200 investigadores.

FONTE: Diário Digital 2005-10-19

quinta-feira, dezembro 29, 2005

29


Passaram 3 meses!
Parabéns!

segunda-feira, dezembro 26, 2005

boomerang


Lembra-se do "boomerang"?

Quando hoje de manhã estava lá fora a saborear o meu café e a observar o sol a subir no horizonte, olhei para baixo e vi um pau curvado no chão que me fez lembrar um "boomerang". Repentinamente, veio-me à memória quando, em criança, jogava horas a fio no quintal do meu avô com um pequeno "boomerang" de madeira que ele me havia dado como presente.

Lembra-se de quando era criança, e ficava fascinado com os "boomerangs"? (Pelo menos, eu ficava!) Você pega naquele pedaço curvo de madeira, atira-o e então observa com assombro que ele se curva no ar e vem de volta na sua direcção.

Tão "milagroso" como isso nos parecia quando éramos crianças, descobri que a maioria da nossa vida é como isso. Aquilo que nós "atiramos" lá para fora, regressa até nós.

Vivemos num mundo de "boomerang".

Deixe-me explicar:

Se você sorri para alguém, na maioria dos casos, esse alguém sorrirá para si também.

Tente fazê-lo agora com alguém perto de si e verá que funciona.

Se você for bondoso para uma pessoa, ela normalmente será bondosa para si.

Naturalmente, isto também funciona no sentido contrário.

Se se queixar a alguém, essa pessoa "compartilhará" as suas queixas consigo.

(Aliás, você rapidamente se sente metido numa competição subtil para ver quem tem mais problemas...)

Se fica zangado com alguém, normalmente ficarão zangados consigo. E assim por diante...

O facto é que, tudo aquilo que você decide "atirar cá para fora", normalmente circulará ao seu redor e acaba aterrando de volta aos seus pés. (Muito como os "boomerangs" com que brincávamos quando éramos crianças.)

Aqui está o que me ocorreu hoje de manhã:

Tenho uma ESCOLHA sobre aquilo que eu decido "atirar cá para fora". Tenho uma ESCOLHA sobre aquilo que eu QUERO fazer aterrar aos meus pés.

Se quer mais ALEGRIA... jogue-a lá para fora.

Se quer mais FELICIDADE.. lance alguma felicidade lá fora para outra pessoa e observe "milagrosamente" como ela volta para si.

Isto acontece mesmo com o dinheiro. Necessita de dinheiro? Distribua algum. (Líderes espirituais desde o princípio dos tempos têm-nos contado isto, mas a maioria de nós tem medo de acreditar.)

Isto funciona em cada área da nossa vida. Quando distribuímos algo. Tudo o que nós "jogamos" lá fora, isso tudo volta para nós.

Mas aqui está a boa notícia... (E isto é realmente a parte "milagrosa"...)

Nós realmente recebemos MAIS de volta do que aquilo que jogamos lá para fora. Plante uma semente e você não vai receber só uma semente de volta. Receberá CENTENAS (talvez MILHARES!)

Assim, hoje (e em tantos outros dias que quiser), faça uma ESCOLHA consciente sobre aquilo que quer "atirar" ao mundo. Ao fazer isto, você estará a fazer uma escolha sobre aquilo que voltará e cairá aos seus pés.

Lembre-se do "boomerang". O que você "joga" lá fora voltará a si (multiplicado por muitas vezes).

(da Internet - em baixo a Nebulosa Boomerang )


sexta-feira, dezembro 23, 2005

festas felizes




Dezembro é um mês especial para muitos países do mundo.

É importante que todos os povos da terra se consciencializem que
a paz
é o maior tesouro que importa conquistar.

Que o Universo traga alegria, paz e saúde a toda a gente.

Um Natal pleno de momentos felizes
e
um ano de 2006
com perspectivas para uma mudança de mentalidades.




bolos de Ponta Delgada

O Ferrer é o irmão do Armindo. Vive com a Beatriz em Ponta Delgada e lá tem a sua vida, com filhos e netos.
Este Natal reservou-me ums surpresa. Tinha uma encomenda nos Correios para levantar e, de dentro dela, retirei o que está à vista: bolinhos caseiros, feitos pela Beatriz, especialidades açoreanas. Não sei como se chamam, mas sei que são deliciosos!...
Conjuntamente com os bolos, vinha um DVD de um filme que eu não possuía: "A vida é bela".
Obrigado Ferrer, obrigado Beatriz!
Dois mimos num só embrulho!...



quarta-feira, dezembro 21, 2005

bocado de hoje: porra!

Se estivermos um pouquinho mais atentos, verificaremos facilmente que tudo muda, a cada dia, a cada minuto. Lembro-me de ter lido algures que até a fazermos a barba ou outra coisa mais simples, nunca a fazemos exactamente da mesma maneira. Também nos nossos hábitos, atitudes, apreciações, vamos subindo e descendo, até nos determos em patamares que se identifiquem melhor com a "nossa maneira de ser".
A vida é um fluxo, tudo o que vemos à nossa volta está a fluir, nada agora está a ser igual ao que estava há pouco...
Cada coisa tem a sua própria individualidade, cada pessoa muda em todos os minutos, e ninguém está fora desta realidade.
Tu que me lês, eu que escrevo, somente somos parecidos com o que éramos anos atrás. Porque, se fixarmos o nosso filho, a nossa mulher, o nosso marido ou o nosso amigo, com intensidade, com amor, verificaremos que vamos encontrar pessoas "diferentes", de cada vez que os olhemos. Porque o que cada um de nós faz é "habituarmo-nos" a vê-los, quando lhes falamos. Não os olhamos com o coração. Não os olhamos interiormente. Nem sequer, na maioria das vezes, os olhamos.

Quando ouço: "As pessoas não mudam...quanto mais não seja porque... quando batem com a cabeça na parede, resolvem começar tudo de novo, jurando esquecer o passado e voltam a cometer exactamente os mesmos erros.." - reconheço que é assim que a vida funciona. Como tu, estão pensando milhares de pessoas.
Mas, ainda que possa parecer isso que dizes, as pessoas mudam, toda a gente muda, tu mudas! Acontece que teimas em mudar, agarrada a acontecimentos passados que "te baixam o astral".
Repara como o teu ego está magoado, ofendido, deprimido - e criou-te "um corpo de dor" que está a dominar a tua personalidade. Tu estás a deixar-te "levar", quando o que deverias fazer era reagir a esse "estado" menos bom, e "gritares" para ti: "PORRA! AGORA VOU EU MANDAR! NÃO VOU DEIXAR A MERDA DO PASSADO TOMAR CONTA DA MINHA VIDA, E VOU SER "EU" A DECIDIR!"

Só desta forma, poderás fazer a mudança que te vai transformar a maneira de ser e a maneira de encarar as pessoas e as coisas!
Experimenta! Se não gostares, podes sempre voltar atrás... ou ao mesmo estado anterior!

segunda-feira, dezembro 19, 2005

parabéns, Carla!


Carla: Significa fazendeira e indica alguém que, pela aguçada capacidade de observação, consegue descobrir até o lado oculto das outras pessoas. Mas nunca usa esse dom de forma escrupulosa. Age sempre com polidez e expõe as suas idéias sem ser autoritária.


Deveria ser um dia especial, como todos os outros!
Mas, geralmente, não é, porque sentimos e queremos que seja um dia "especialmente nosso".
Então, que este 19 constitua um pilar de alegria, de bem-estar, de grandeza interior, de confiança!
Que o Universo esteja aí escancarado à tua frente, com a Sua magia e riqueza, e disfrutes Dele por muitos outros anos!
Tu contigo, com os demais que amas, com Tudo o que te fizer feliz!

domingo, dezembro 18, 2005

onde quer que estejas


quinta-feira, dezembro 15, 2005

o momento

Vou falar um pouco sobre o passado e o futuro. Melhor, falemos do presente.
Vou recorrer às noções de Osho que, particularmente, nos dá uma ideia muito interessante de como compreender esta questão do tempo.

Há pessoas que passam os dias encafuados em si, acabrunhados, tristes, como se os céus estivessem prestes a cair-lhes em cima. Estar triste é um estado de ser. Nós reconhecemos que podemos mudar.
Se me sentir, hoje, agora, triste e chato, posso (se o desejar) transformar-me num ser alegre e amoroso?
Parece que sim. Exigirá um esforço da minha parte, tenho que mentalizar-me verdadeiramente que não quero estar assim, quero antes ser amoroso. Eu sei que posso sê-lo num simples momento. Agora! Porque eu só vivo um momento de cada vez. Logo a seguir, ser-me-à dado um outro momento. Então, se eu posso ser amoroso neste momento do agora, eu posso também sê-lo no momento seguinte.
No conceito de Osho, se eu pensar assim, terei descoberto o segredo.
Há um único momento que é meu: o momento do agora.
O passado já "passou", já não existe, e o futuro ainda não aconteceu, também não existe. Ambos "são não-existenciais". A única verdade da existência é o exacto momento do agora, o momento atómico, "aqui e agora".
Como dizia Eckart: "Não é que o tempo passe. O tempo permanece o mesmo. Nós é que passamos."

Se eu consigo ser amoroso num único momento e sei que a seguir me vai ser concedido um outro momento, é uma questão de o preencer também com amor. Não preciso de pensar no tempo. Preciso de "pensar" no momento único do agora.
Como diz Osho "O tempo significa pensar no passado, pensar no futuro. E quando você está pensando no passado e no futuro, o presente é perdido".

O pensamento é fantasticamente rápido. Mas há um tempo entre o pensamento e a experiência. Primeiro penso e só depois a coisa acontece. Pensar precisa de tempo. Pensar obriga-me a ir buscar coisas do passado e, até, relacioná-las com o futuro. Estou a "perder tempo" se começo a pensar. Se conseguir "ser" sem pensar, estou a "poupar" tempo. O único momento do agora em que "eu sou" está fora do tempo. Um momento de amor é um momento sem tempo. É o meu momento, onde não preciso de pensar, preciso de "ser". O amor não é um pensamento. É o sentimento mais sublime e mais natural.

Então, se não é uma questão de tempo, é uma questão de "saber viver". Eu sei que posso ser simpático neste preciso instante. Vou vivê-lo assim. Não preciso de pensar nisso. Apenas viver assim o momento seguinte. A um outro nível de existência, tudo está a acontecer "ao mesmo tempo", no "eterno momento do agora" e isso é um acontecimento maravilhoso. A um outro nível de existência, não existe o tempo, o pensamento e a acto são simultâneos. O que quer dizer que, se eu pensar em algo, esse algo é imediatamente experienciado. No próprio instante em que pensei nele.

Neste mundo relativo, eu sei que preciso de tempo para passar do pensamento à acção. Eu sei isso. Mas, também posso escolher "ser simpático", sem pensar nisso uma hora ou o dia todo. Simplesmente "sou" em cada momento, e pronto. Se começo a pensar ("que chatice, por que não dou um chuto neste gajo, agora sujei o fato, o que vai a mulher pensar, etc....") deixo de "ser" aquilo que estava a ser. Sei que posso disciplinar a minha mente, de acordo com aquilo que desejo ser como "ser humano", nesta vida terrena, neste mundo físico, sujeito à relatividade e às leis da natureza.

O mais importante é, portanto, estar aqui e agora, num estado de ser que é aquele que eu mais desejo para me sentir bem, tranquilo, feliz e em harmonia com Deus e a vida.

Aqui e agora! Sempre no Agora, significa deixar o pensamento para outras coisas que me dão prazer na vida.

terça-feira, dezembro 13, 2005

respostas

Quando se lê um livro como "O Que Deus Quer" das duas uma:
Ou o lemos de espírito aberto e nos tornamos sensíveis às propostas que ali estão, ou o lemos "de pé atrás" com um espírito crítico de apontar negativamente algo que não entendemos, ou ainda, podemos lê-lo descontraidamente, sem acreditar em coisíssima nenhuma, porque nem sequer nos damos ao trabalho de procurar entender, nem isso nos interessa...

As grandes questões a que a humanidade nunca conseguiu responder, afinal, também estão nas páginas deste livro:
1 - Quem é Deus e o que é Deus?
2 - O que quer Deus de nós, seres humanos?

Ora, como tantas outras Escrituras Sagradas, e tantas outras opiniões de mestres e mensageiros espirituais, também este livrinho dá as "suas" respostas. Afinal, são mais algumas opiniões, que mal trarão elas ao mundo?...

Diz assim:
1 - Deus É VIDA e é TUDO na vida.
2 - Deus NÃO QUER NADA, porque Deus TEM TUDO, e Deus É TUDO o que poderia QUERER.

Pronto, em palavras simples (mais simples não pode haver...) as respostas do livrinho são estas!

Mas, passando à frente, há uma página interessante que vou tentar reproduzir:

"Deus pode ser USADO.
ESSE é que é o interesse de ter um Deus.
Eu disse antes que existe uma boa razão para acreditar em Deus. Disse igualmente que É ESTA A RAZÃO. A força, o poder, a energia, isto é, a vida propriamente dita, pode ser UTILIZADA, com resultados consistentes e previsíveis. É interessante notar que esta ideia é sistematicamente apresentada nos ensinamentos de todas as religiões.
Todas as religiões nos ensinaram que o poder de Deus pode ser utilizado. A maioria, porém, ensinou os seres humanos a procurarem fora de si o acesso a esse poder. Mas a Nova Espiritualidade convidará os seres humanos a procurarem no INTERIOR.
...
Aquilo que pensamos, aquilo que dizemos, e aquilo que fazemos, essa é a forma como usamos Deus.
Estas são as três Ferramentas da Criação, e estas ferramentas são perfeitas. São magníficas. São eficazes.
Pense apenas naquilo que escolhe experimentar, diga apenas aquilo que escolhe tornar real, faça apenas aquilo que escolher demonstrar como a sua Realidade Mais Elevada.
Considere isto em pormenor. Não foi isto que todos os mestres fizeram? Algum mestre alguma vez fez mais?
Népia.
Numa palavra, népia. Mas eis outro segredo. Quando desejar algo, procure perceber que SENTIMENTO imagina que experimentaria se o fizesse. Porquê? - e esta é uma enorme pista - é sempre uma experiência INTERNA que a sua alma procura, e não uma experiência externa. A maioria das pessoas pensa que aquilo que quer é algo que está no exterior. Mas não está. É algo que se encontra no interior da pessoa. É isto que toda a Humanidade busca, e "sentimento" é a palavra que escolhemos para designar esta experiência
."

segunda-feira, dezembro 12, 2005

O Medo



Deus Criou o Medo para Experienciar o Amor

Deus sabia que para o amor existir - e conhecer-se a si mesmo como amor puro teria também de existir o seu exacto oposto. Por isso Deus criou propositadamente a grande polaridade - o oposto absoluto do amor - tudo o que o amor não é - aquilo a que agora se chama medo. Existindo o medo, o amor já podia existir enquanto algo capaz de ser experienciado .


Conversas Com Deus - Livro 1
Neale Donald Walsch


domingo, dezembro 11, 2005

palavras e gestos

Por sugestão da "Yatashi" fui ver as "mãos que falam", e entender melhor a magia do gesto, ao serviço da comunicação.

"Para comunicar, os Surdos utilizam os GESTOS que são as imagens simbólicas dos conceitos exprimidos. É o conjunto dos parâmetros do GESTO assim como a expressão da face e o movimento do corpo que criam uma imagem precisa da ideia exprimida."

Palavras para quê?...



sábado, dezembro 10, 2005

bocado de hoje: a verdade das escolhas

Como dizia a tua amiga, vives demasiado o passado. Ainda lhe perguntaste: "Achas que tentei tudo? Achas que se tivesse feito as coisas de outra forma poderia ter sido diferente?"
"É claro que não. Tu foste tu própria, se não deu era porque não tinha de dar. Para estares com alguém sem teres sido tu, já bastou a outra vez. E sabes que, com isso, só perdeste."

Se tivesses feito as coisas de outra forma, teria sido diferente, claro!
Cada dia ou cada momento é sempre diferente do anterior. A tua amiga tem razão! Estejas com quem estiveres, decidas o que decidires, não poderás negar-Te àquilo que És, àquilo que Queres Ser. Por isso é que é sempre diferente, desde que escolhamos de acordo com a nossa Verdade!
Quando fazemos alguma escolha que não esteja de acordo com o nosso Eu interior, estamos a negar Aquilo que somos, e então, vai-se o bem-estar e a tranquilidade interior.
Ninguém melhor que tu mesma "sente" a verdade das escolhas que fazes!
Parece ser assim que esta vida funciona.
A tua liberdade mora no fundo de ti, para além do pensamento.
Tens sempre hipótese de rever Aquilo Que Queres Ser.
Todos os momentos são Teus!
Mas têm que ser apreciados para poderes aplicar-lhes a Tua verdade!

sexta-feira, dezembro 09, 2005

desafio

Masculino e feminino, homem e mulher!
Também as palavras são assim: umas femininas outras masculinas.
Há dias, chegou-me uma "anedota" por e-mail, e decidi transformá-la num post.
Mas para ficar um pouco mais clara, tive que dar-lhe mais cor. E ficou assim:
clica!

quinta-feira, dezembro 08, 2005

vamos imaginar!

Imagine there's no heaven
It's easy if you try
No hell below us
Above us only sky
Imagine all the people
Living for today

Imagine there's no countries
It isn't hard to do
Nothing to kill or die for
And no religion too
Imagine all the people
Living life in peace

You may say, I'm a dreamer
But I'm not the only one
I hope some day you'll join us
And the world will be as one

Imagine no possessions
I wonder if you can
No need for greed or hunger
A brotherhood of man
Imagine all the people
Sharing all the world

You may say, I'm a dreamer
But I'm not the only one
I hope some day you'll join us
And the world will be as one





As polémicas declarações de Chapman, gravadas ao longo de uma série de entrevistas efectuadas na prisão onde cumpre pena, vão ser exibidas pelo Channel 4, canal de televisão britânico, hoje, 8 de Dezembro, dia em que se completa mais um aniversário da morte de John Lennon.

Num dos excertos das entrevistas, Chapman afirmou que “matar Lennon tornou-se uma obsessão” depois de ter observado longamente a capa do disco dos Beatles ‘Sgt Pepper’s Lonely Hearts Club Band’ e de ter percebido o que o afastava daquele que era um dos mais acarinhados músicos de sempre.

“Lennon era um homem bem sucedido, que tinha o mundo preso a si como se fosse uma corrente. Mas eu não. E não era sequer um elo dessa corrente”, disse.

Por isso, a 8 de Dezembro de 1980, quando o táxi onde seguia John Lennon e Yoko Ono estacionou junto ao prédio onde moravam, frente ao Central Park, Chapman avançou sobre o músico, disposto a consumar aquilo que, para ele, era “uma missão”.

Antes disso, o assassino terá tido a “incrível sensação” de “ouvir uma voz” que lhe ordenava: “Dispara, dispara, dispara!”, confessou.

“Depois, quando ele passou por mim, empunhei a arma, apontei contra as costas e puxei o gatilho cinco vezes”, relatou. John Lennon viria a morrer poucas horas depois, num hospital nova-iorquino.

Se fosse vivo, John Lennon celebraria hoje 65 anos de idade e, de entre as várias manifestações para assinalar a data, realce para a edição de ‘Working Class Hero – The Definitive Lennon’, um registo em duplo CD, compilado por Yoko Ono, que reúne o melhor de duas curtas mas frutuosas décadas de carreira.

O disco, que curiosamente recupera um título de há dez anos, quando uma série de artistas lançou um tributo ao ex-beatle, é, no entanto, a mais completa retrospectiva sobre a carreira a solo de Lennon.

Segundo Yoko Ono, a presente colecção reflecte não apenas a beleza das canções e das palavras de Lennon, mas também a verdade que o músico sempre fez questão de dizer a todos. A referência a ‘working class hero’ (herói da classe operária, em tradução livre) mais não é do que uma alusão à condição social de Lennon.

A verdade é que após o seu desaparecimento, a 8 de Dezembro de 1980 (este ano assinala-se igualmente o 25.º aniversário sobre a sua morte), Lennon transformou-se num mito e deu origem às mais variadas teses e trabalhos. Como o de uns cientistas da Universidade de St. Andrews, na Escócia, que usaram as mais sofisticadas técnicas para (re)criar o rosto do músico se este fosse vivo.

Além da edição do disco, o aniversário do nascimento de John Lennon foi também assinalado com um concerto de tributo no mítico Budokan, Tóquio, realizado com a presença de Yoko Ono.

Em Paris, por seu turno, a efeméride foi assinalada com a inauguração de uma exposição, que reúne uma criteriosa selecção de ‘memorabilia’ sobre a vida e a carreira do ex-beatle.

(Correio da manhã)

Imagine there's no countries
It isn't hard to do
Nothing to kill or die for
And no religion too
Imagine all the people
Living life
in peace

terça-feira, dezembro 06, 2005

liberdade

As coisas simples nem sempre são fáceis de entender... e de explicar!
Para explicar o valor da liberdade e o que isso é, o orador busca conceitos e exemplos, de acordo com os ouvintes que o escutam. Mas, por vezes, são precisas muitas horas para que toda a gente fique esclarecida.

O acesso à "liberdade" depende do país em que se vive, das sociedades que a definiram e implantaram, dos valores, das tradições, dos preconceitos.

Liberdade tem muitos sinónimos. Anda de braço dado com responsabilidade e com respeito. Tem o livre-arbítrio a impulsioná-la. Tem o direito alheio a condicioná-la e o abuso a repreendê-la.

A liberdade nasce quando nasce o ser humano.
Ainda que o meio não lhe permita experimentá-la, a liberdade, alojada no interior de cada um, exprime-se de uma maneira única e genuína.

Viva a liberdade!
Ouça e veja aqui como é fácil explicá-la:




domingo, dezembro 04, 2005

mensagem





A Vida é Deus, na sua forma física

Não podem separar Deus da Vida, nem podem separar a Vida de Deus. Podem dizer que acreditam na Vida e não em Deus, mas isso será como dizer que acreditam no cérebro mas não na mente. Podem ver e tocar o cérebro, por isso sabem que ele existe. Não podem ver nem tocar a mente, por isso não estão seguros do que isso seja, ou se isso existe ou não. O cérebro é a mente, na sua forma física . Contudo, é a vossa mente que vos permite contemplar o vosso cérebro. Sem a vossa mente, não saberiam sequer que o vosso cérebro existe.

O mesmo se aplica à relação entre Deus e a Vida.


(As Novas Revelações - Neale Donald Walsch)

sexta-feira, dezembro 02, 2005

aquarela da jonice

Regularmente, do Brasil, vêm palavras carinhosas e inspiradas.
Desta vez, veio também um presente: um mail embrulhado numa "gracinha" - o nome que a Jonice atribuíu a esta ternura que quis partilhar comigo.
Só que a partilha deve ser com toda a blogosfera.
Como ela diz: "Have fun!"



video

quinta-feira, dezembro 01, 2005

A vida continua

- A vida continua realmente por todo o sempre, não continua?
- Com certeza que sim.
- Não tem fim.
- Não tem fim.
- A reencarnação é um facto.
- É. Podem voltar à forma mortal - ou seja, uma forma física que pode "morrer" - sempre e quando quiserem.
- Nós é que decidimos quando queremos voltar?
- "Se" e "quando" - sim.
- Também decidimos quando queremos partir? Escolhemos quando queremos morrer?
- Nenhuma experiência recai sobre nenhuma alma contra a sua vontade. Isso, por definição, não é possível, já que a alma cria cada experiência.
A alma nada quer. A alma tem tudo. Toda a sabedoria, todo o conhecimento, todo o poder, toda a glória. A alma é a parte de Vós que nunca dorme; nunca esquece.
A alma deseja que o corpo morra? Não. O desejo da alma é que nunca morram. No entanto, a alma deixa o corpo - muda de forma, deixando para trás a maior parte da matéria corporal - de um momento para o outro, quando deixa de ver utilidade em permanecer sob essa forma.

(Neale Walsch in Conversas com Deus)