Lisboa,

quinta-feira, março 30, 2006

projecto tampinhas


A Luciana sugeriu e eu vou aderir à campanha, que acho fantástica. Realmente, não custa nada, basta ter um saquinho de plático à mão (daqueles pretos pró lixo), atirar lá pra dentro as tampinhas e quando o saco estiver cheio, colocá-lo na bagajeira do carro e, no próximo passeio (para dar ainda menos trabalho...), passar por um posto de recolha e deixar lá o saco. Dá muito trabalho?... Não, então toca a participar!...

Junte TODO O TIPO DE TAMPAS DE PLÁSTICO LIMPAS (de embalagens usadas) e ajude alguém a receber uma CADEIRA DE RODAS (ou outros materiais ortopédicos).

Existem 220 locais de entrega, espalhados pelo país.

Que tipo de tampas se pode recolher? E que tipos de tampas não se pode?
Agora já se podem recolher todo o tipo de tampas. Antes eram só as de garrafas e garrafões de água, refrigerantes, yogurtes líquidos e leites do dia. Agora já se podem juntar também as de Óleos, shampoos, detergentes e vinho, pois já há tecnologia para limpar as tampas "contaminadas". As pegas dos garrafões de água e anilhas, que são do mesmo material, também podem ser utilizadas.

As tampinhas são depois enviadas para reciclagem, e o valor é revertido em material ortopédico (cadeiras de rodas e outros) para quem mais dele necessita. Entregue por favor as tampas em sacos de plástico, de preferência sacos pretos de 100 ou 120 litros (usados normalmente para o lixo).

terça-feira, março 28, 2006

como se não deve atender um cliente

Às 20H06 de ontem, dia 27 de Março, recebi uma chamada no meu telemóvel que motiva hoje este post.
Uma vez feminina dizia-me que se chamava Ana Rita Costa, do Banco Totta, e perguntava-me se eu sabia que tinha uma conta em conjunto, aberta na Rua do Ouro, e que estava a descoberto em 50 Euros (acho que ela falou nessa quantia)...
Disse-lhe que não estava a ver de que conta se tratava, porque eu tinha mais do que uma conta naquele Banco, e não me lembrava de ter 50 euros a descoberto.
Então a senhora deu-me o número da conta, que eu reconheci como sendo uma conta que eu mandara cancelar pessoalmente no Balcão da Rua Augusta, em Lisboa, no dia 19 de Setembro de 2005.

Pois é! Agora tem início a "graça" desta história. A senhora Ana Rita Costa eleva a voz, principia um chorrilho de "eu estou a avisá-lo" de que tem a conta a descoberto, de que se a mandou cancelar "vá" ao seu Balcão tratar do assunto, porque "estou a dizer-lhe" que tem 80 dias(acho que foi isso que ela disse) para regularizar a conta, senão mandava aquilo pró Banco de Portugal, blá-blá-bla, blá-blá-blá...

Eu estava incrédulo, por duas razões, somente: primeira, porque SEMPRE atendi bem e SEMPRE fui bem atendido no Banco Totta; segunda, porque, dentro do Banco Totta, NUNCA levantei a voz a ninguém, e no Banco Totta NUNCA ninguém me levantou a voz!

Por isso, só me ocorreu perguntar: "A senhora está a ameaçar-me?..."

Se ela se tivesse calado, a conversa teria ficado por ali. Mas não! A senhora, talvez por ainda não ter jantado, ou porque estaria a trabalhar(...) há muitas horas seguidas (não parecia, pela "genica" que mostrava...), tornou a "martelar" da mesma maneira e eu tive que dizer-lhe que ela estava a ser inconveniente e que os clientes lhe deviam merecer um pouco de respeito...

Nada!... Ainda pensei que "aquilo" pudesse ser uma gravação, mas não, era mesmo uma chamada, com uma pessoa em cada lado da linha...


Da minha "avaliação", só posso dizer o seguinte: Não conheço esta senhora de lado nenhum, mas demonstrou que é uma funcionária incompetente, no atendimento ao público. A prestigiada instituição Banco Totta, que eu conheço por dentro e por fora, há 35 anos, não merecia ter uma funcionário como Ana Rita Costa (a quem paga o ordenado), muito menos numa função específica que é o contacto com o cliente, via telefone.
Posso dizer que esta senhora interrompeu o que eu estava a fazer, foi mal esducada, incompetente a tratar dum assunto profissional, "berrou" ao telefone como se estivesse no campo atrás dos animais (com todo o respeito pelos animais, criaturas de Deus), ameaçou que iria mandar o caso para o Banco de Portugal, não quis saber da explicação que eu pretendia dar-lhe, e despediu-se como se tivesse um "rei" dentro da barriga...
Enfim, a "madame" Ana Rita Costa incomodou-me, estando eu tranquilamente na minha casa, às 20H06 do dia 27 de Março, só porque possui o meu número de telefone...


FINAL DA HISTÓRIA: A minha má disposição passou depressa (só o tempo de desabafar aqui neste meu recanto), a ARC já está esquecida, e eu tenho a certeza que amanhã vai estar um dia fantástico, iluminado por coisas e pessoas que tornam esta vida mais plena de alegria e bem-estar, principalmente para aqueles que mais dificuldades têm no seu dia-a-dia...
Ainda que não seja fácil, devemos procurar ver a perfeição. Vê-la "em tudo", não apenas naquela coisas que nós achamos perfeitas... Mas os comportamentos, esses, devemos anunciar e denunciar, sejam eles "bons" ou "maus"!...

segunda-feira, março 27, 2006

dia mundial do teatro

VENHAM AO TEATRO


O teatro é uma arte em que um actor ou um conjunto de actores interpretam uma história ou actividades que têm como objectivo re/presentar (tornar a apresentar) uma situação e despertar sentimentos na audiência.
Teatro significa lugar onde se vê e se ouve.
(Wikipédia)

Esta pequena homenagem tem somente dois objectivos: lembrar que há um dia consagrado ao Teatro, e revelar que, ainda hoje, se reabrem Teatros em Portugal.

Venham ao teatro


Existe um teatro Português?
Esta interrogação sobre a existência de um autêntico teatro português vem de longe, mas aqui tornar-se-ia fastidioso explicar o que se pode ler em diversos sites na Net.

FELIZMENTE QUE AINDA HÁ TEATROS A REABRIREM


Teatro Municipal Maria Matos
Encerrado desde Novembro de 2004, o Teatro Maria Matos, em Lisboa, reabre , finalmente, no dia 27 de Março de 2006.



Teatro Maria Noémia
Encerrado há cerca de três décadas e após obras de remodelação, o Teatro Maria Noémia, na freguesia de Meia Via, Torres Novas, foi inaugurado no domingo, dia 26 de Março.


O Dia Mundial do Teatro comemorou-se um pouco por todo o país.
Por exemplo:


Em Santarém no Teatro Sá da Bandeira

No Porto no Teatro Nacional São João (TNSJ)

Em Leiria no Teatro Miguel Franco

Na Lourinhã no Auditório Maestro Manuel Maria Baltazar

Em Braga no Auditório Municipal Galécia

Em Albufeira no Auditório Municipal

Museu Nacional do Teatro


Apesar de ser 2ª Feira, o Museu Nacional do Teatro estará aberto durante todo o dia, estando previstas algumas actividades e iniciativas.

sábado, março 25, 2006

momento de reflexão


"Se insistes em afirmar que a tua vida é aquilo que o teu corpo faz ainda não percebeste por que vieste ao mundo.
As acções do corpo devem ser reflexos de um estado de ser, não tentativas para atingir um estado de ser.
Na verdadeira ordem das coisas, uma pessoa não faz algo para ser feliz - uma pessoa é feliz e, por isso, faz algo.

Tens direito à tua alegria; com ou sem filhos; com ou sem mulher. Procura-a! Descobre-a!

Toda a gente consegue amar tudo no momento em que entender o que está a fazer e porquê."

(Neale Walsch)

sexta-feira, março 24, 2006

o universo de hoje


O satélite WMAP foi lançado pela NASA em 2001, foi colocado num ponto estratégico, a um milhão e seiscentos mil quilómetros do nosso planeta, permitindo fazer uma observação completa do céu em cada seis meses, acima das perturbações atmosféricas da Terra.
Dotado dos mais modernos instrumentos concebidos até então, o WMAP já estava, no ano seguinte, a enviar os primeiros dados e começava a deixar os cientistas estupefactos, revelando-lhes dados muito diferentes daqueles que eram os conhecidos.
A idade de ouro da cosmologia começara.

Vou referir aqui apenas duas ou três descobertas, que poderão servir para um momento de reflexão.
A matéria visível que vemos à nossa volta (incluindo as montanhas, os planetas, as estrelas e as galáxias) constituem cerca de 4% do total da matéria e energia do universo. Destes 4%, somente 0,03% tem a forma de elementos pesados; o restante encontra-se na forma de hidrogénio e hélio.

Para que consigamos compreender melhor, o WMAP revela que os elementos que constituem o nosso mundo visível ocupam apenas 0.03% do universo. O resto é constituído por uma matéria invisível e misteriosa, totalmente desconhecida.
De acordo com o satélite, 22% do universo será constituída por uma substância estranha e que foi chamada de matéria negra, invisível, com peso e que circunda as galáxias; e os outros 74% (a maior parte do universo) será constituída por uma forma de energia também desconhecida, a que chamam energia negra, a força que está a mover todo o universo.
Os restantes 4% é a tal parte visível que falei atrás...

As opiniões dos físicos sobre Quem está por detrás de tamanha grandeza continuam a dividir-se. Muitos vêem a mão de Deus e um desígnio para o universo.

Uma cientista da Universidade da Califórnia, Sandra Faber, do Lick Observatory, dizia: "Não acredito que a Terra tenha sido criada para as pessoas. Foi um planeta criado por processos naturais e, na sequência desses processos naturais, a vida e a vida inteligentes apareceram. Da mesma maneira, penso que o universo foi criado a partir de um processo natural e que o nosso aparecimento nele foi um resultado perfeitamente natural das leis físicas, na porção do universo que ocupamos."

Don Page, da Universidade de Alberta, disse:" Sim, eu diria que há definitivamente um desígnio. Não sei quais são todos os desígnios, mas penso que um deles foi o facto de Deus criar o homem para que o homem tivesse a companhia de Deus. Uma finalidade maior talvez fosse o facto de a Criação glorificar Deus... Em certo sentido, as leis físicas parecem ser análogas à gramática e à linguagem que Deus quis usar."

No texto "O Narrador", referindo-se à crise da experiência, diz Walter Benjamin: "Com a guerra mundial começou a manifestar-se um processo que, desde então, nunca mais parou. (...) Uma geração que ainda fora à escola em ónibus puxado a cavalos, viu-se indefesa, numa paisagem em que tudo se alterara excepto as nuvens. Sob elas, perdido num cenário dominado por forças destruidoras e explosões, o minúsculo e frágil corpo humano." (Benjamin, 1992: 28)

Na entrevista à Der Spiegel, publicada depois da sua morte, em 1976, nem esta possibilidade já é entrevista por Heidegger, que responde com o famoso "E agora, já só um Deus nos poderá salvar"...


E eu que faço Senhor?
Que te dou eu cada dia?
O Teu louvor? A Tua glória?
A Tua honra? O Teu amor?
Que Te dou eu que não seja já Teu?

(Textos recolhidos na Net e poesiaonline.no.sapo.pt)

quinta-feira, março 23, 2006

o primeiro dia


Então encontrei uma razão para permanecer viva Tentar um pouco mais ver o outro lado Falando para mim própria Muitas noites sem sono Tentando encontrar um significado para esta vida estúpida




FIRST DAY OF MY LIFE (Melanie C)

video


So I found a reason
to stay alive
Try a little harder
see the other side

Talking to myself
Too many sleepless nights
Trying to find a meaning
to this stupid life

I don’t want your sympathy
Sometimes I don’t know who to be
Hey
what you looking for
No one has the answer
They just want more
Hey
who’s gonna make it right
This could be the first
Day of my life

So I found a reason
To let it go
Tell you that I’m smiling
But I still need to grow

Will I find salvation
in the arms of love
Will it stop me searching
Will it be enough

I don’t want your sympathy
Sometimes I don’t know who to be
Hey
what you looking for
No one has the answer
but you just want more
Hey
who’s gonna make it right
This could be the first day of my life

The first time to really feel alive
The first time to break the chain
The first time to walk away from pain
Hey
what you looking for
No one has the answer we just want more
Hey
who’s gonna make it right
This could be the first day of your life
Hey
what you looking for
No one has the answer they just want more
Hey
who’s gonna shine alight?
This could be the first day of my life



Não há coincidências no universo. Só precisamos estar atentos. Atentos a um livro que nos desperta a atenção. Atentos ao argumento dum filme que nos seduz. Atentos à letra duma canção bonita que nos encanta... Existe uma presença divina em todas as coisas! Nos pequenos detalhes, Deus usa a linguagem mais simples para chegar a cada um. Este pode ser o primeiro dia da tua vida! Quebrando as correntes, fugindo da dor!... Não há coincidências no universo.

quarta-feira, março 22, 2006

dia mundial da água

Este último Verão deixou grande parte do nosso País em seca extrema, e a Espanha a raccionar o caudal dos rios que aqui vêm desaguar. Os fogos atingiram proporções assustadoras e, se nos lembrarmos que o aquecimento do planeta é um facto concreto e que está a alterar o clima, tal como nos habituara desde há muitos anos, é lícito lembrarmo-nos que o homem, como ser inteligente deste planeta, terá que pensar seriamente que a ÁGUA POTÁVEL pode tornar-se o problema do futuro próximo.

As inundações e secas, deslizamentos de terra, avalanches e tempestades, são desastres naturais que afectam certas zonas do globo, mas devem-se, sobretudo, à acção humana que não mede as devidas consequências e tem, por detrás, interesses que se sobrepõem ao equilíbrio das condições geológicas e meteorológicas.

"A ONU aponta como uma das principais causas do fracasso dos programas para abastecimento e saneamento de água potável em países como a Índia, o Quénia ou o Nepal a falta de participação das populações." [in Público, 18/03/2004]

Para além da denúncia e do alerta, o cidadão deve contribuir com a sua participação na consciencialização dos filhos, dos vizinhos e amigos, transmitindo-lhes aquilo que a ÁGUA representa na sustentação da vida sobre o planeta.

"As Nações Unidas, através da resolução A/RES/47/193, de 22 de Dezembro de 1992, declararam o dia 22 de Março de cada ano como o Dia Mundial da Água. Este dia tem sido marcado, desde 1993, com iniciativas várias nacionais e internacionais com o intuito de sensibilizar o público em geral para a necessidade de conservar os recursos hídricos e para algumas questões em particular, também relacionadas com a água."

Não é demais ler um pouco do que diz o Centro de Informação das Nações Unidas em Portugal:
"Um terço da população mundial vive em zonas que sofrem de stress hídrico, onde o consumo supera o fornecimento. Até 2025, se as actuais tendências não tiverem sido contrariadas, dois terços da população mundial terá caído nesta trágica armadilha.

Um quinto da população do planeta não tem acesso a acesso a água potável. Seis mil pessoas, principalmente crianças e, na sua maioria, habitantes de países em desenvolvimento, morrem diariamente devido à utilização de água suja e poluída. É como se, todos os anos, a população do centro de Paris fosse aniquilada. A poluição dos rios e mares pelos esgotos leva a uma situação de crise na área da saúde de proporções difíceis de se calcular. O consumo de mariscos contaminados causa cerca de dois milhões e meio de casos de infecções hepáticas por ano, que resultam em 25 000 mortes e outros 25 000 casos de pessoas que ficam incapacitadas devido a lesões hepáticas."

E ainda estas notas finais:
"Quando se utiliza na agricultura 70% da água doce, esta torna-se anti-económica. Tecnologias de irrigação ou canalizações subterrâneas são baratas e simples. Façamos tudo para que estes sistemas beneficiem o maior número de pessoas.

Devemos dar valor à água, tanto espiritual como económico. Isto, entretanto, não pode acontecer à custa dos pobres que vivem nas cidades e que já pagam um preço muito alto por este recurso. Portanto, precisamos de ser criativos na maneira como cobramos pela água e de oferecer alternativas para a agricultura, a indústria, as cidades e os consumidores que sejam baratas e que não signifiquem desperdício de água..."

terça-feira, março 21, 2006

dia mundial da poesia


Simbolicamente, vou associar-me a este dia! A poesia prolifera por esta blogosfera, uma mais bem construída que outra, mas toda ela saída da imaginação e do coração.
Mas, o que é ser poeta? Como eu não sei, recorri a uma poetisa:


Ser poeta é ser mais alto, é ser maior
Do que os homens! Morder como quem beija!
É ser mendigo e dar como quem seja
Rei do Reino de Aquém e de Além Dor!

É ter de mil desejos o esplendor
E não saber sequer que se deseja!
É ter cá dentro um astro que flameja,
É ter garras e asas de condor!

É ter fome, é ter sede de Infinito!
Por elmo, as manhãs, de oiro e de cetim...
É condensar o mundo num só grito!

E é amar-te, assim, perdidamente...
É seres alma, e sangue, e vida em mim
E dizê-lo cantando a toda a gente!

(Florbela Espanca)


Mas, há também gentes desconhecidas, muitas em muitos blogs que visito, gentes que nada pedem em troca, apenas dão parte de si.
Neste dia, não vou escolher ninguém em particular, porque isso seria ir fazer uma apreciação e um julgamento para os quais não tenho qualquer competência...
Assim, vou buscar a poesia de uma professora de Aveiro, que não sei se é magra ou gorda e que descobri aqui na Net, por um acaso, e cujos versos captaram a minha atenção. Por isso, sem pedir licença (e não saberia como...), aqui transcrevo "Sempre", porque ... gostei!


Como se os nossos corpos
rebolassem
num colchão de palavras,
nadei nos conceitos
que me sussurraste
ao ouvido,
nas frases soltas
que tomaram forma
afirmativa
do meu e do teu ser!
Gemi as exclamativas
frases que me arrancaste
do fundo do peito...
Amei-te num futuro
mais-que-perfeito!
Bani dos meus horizontes !
o modo condicional
do verbo sentir
e usei o gerundio
do gosto de sorrir...
Num complemento circunstâncial
de modo...
Amei-te!
No circunstâncial de lugar
fiquei à espera
que o circunstâncial de tempo
fosse um segundo...
do tamanho do mundo!
Antes do amo coloquei
um pronome pessoal
e a seguir um reflexo
e vi que tinha nexo
o que acabei
de te dizer!·
Munist! e-te então
do campo lexical
de tempo...
Sob a forma
determinante
da interrogativa
e surgiu o quando?
logo seguido da verbalização
angustiada
do amanhã?
Apenas te respondi
no modo docemente
circunstancial
com a única temporal
que eu senti:
Sempre!

(Cristina Fidalgo)

domingo, março 19, 2006

dia do pai


Hoje é o meu dia!
Poderia explicar aqui como tudo começou naquele ano de 1909, quando Sonora Louise Smart Dodd, de Spokane, Washington, teve a ideia de escolher um dia especial para homenagear os pais, depois de ouvir um sermão no Dia da Mãe.
Depois, depois, que o 19 de Março – Dia de S. José - foi a data escolhida pelos filhos portugueses para homenagear os seus pais.


Mas, já que é o "meu dia" vou dedicá-lo a mim. Vou dizer que fui bom pai. Vou dizer que sou bom pai. Vou dizer que tenho orgulho de "ser pai". Vou dizer que dei anos e anos da minha vida. Que me privei de muita coisa. Que dei carinho. Que amei. Que sofri!
Neste dia pequenino, vou repisar os momentos e, sendo pai, vou ser o pai outra vez... e reafirmar o quanto estou contente, o quanto o meu peito bate por duas pessoas especiais que, estando longe, estão tão perto dAquilo que ninguém vê e que só Eu posso sentir.


"O amor de pai
não espera recompensa.
É fiel até à morte."


Quem escreveu? - Não me lembro.
Este é o teu dia...
Embora já não te lembrasses, existe um dia (que deviam ser todos) destinado a ti... A altura certa para te agradecer tudo o que tens feito por mim.
Embora não devesse ser recompensado (como diz a frase), aqui está este postal para que saibas que este dia jamais será esquecido.
Que continues a cuidar de mim tão bem como tens feito até hoje.
O desejo de quem te adora.
(Marco 19/03/97)

Aquele...
que tem sempre uma palavra precisa
e um momento disponível
ESSE É O MEU PAI
Um grande beijinho da Carla

(19/01/1991)


"No "dia do pai" basta um beijo, um gesto de ternura, uma troca de olhar, um aprofundar de sentimentos, uma crença de que o Filho é o Futuro do Pai e o Pai uma referência (boa ou má, conforme as circunstâncias) desse futuro."(Rogério Rodrigues)
Que esse futuro, de que o autor fala, possa ser aquele que todos nós esperamos...
... um futuro com tranquilidade, vivo, com base em todas as boas referênicas do passado.
É o desejo do filho que não te esquece.
(Marco 19/03/98)



Na vida, há sempre bons momentos: momentos esses que se podem recordar, que se podem prever e momentos que, como o de Hoje, se devem comemorar.
O facto é que, além de ser o "dia do pai", é um dia de mudança, o dia em que entraste nesta nova "janela" que Deus te abriu.
É bom celebrarmos este dia todos reunidos e que encontremos a paz e a alegria para vivermos a vida da melhor maneira possível.
Do filho que te adora

(Marco 19/03/99)


Porque nem sempre conseguimos demonstrar aquilo que verdadeiramente sentimos, há momentos que parecem ser mais difíceis, mas que com a ajuda d'Ele serão ultrapassados da melhor maneira.
Do filho Marco
(19/03/2000)

Ensinaste-me tudo o que sei hoje, e com certeza, terás ainda mais a me ensinar.
E, estarei sempre pronto a aprender.
Muitos beijinhos do filho que te adora. Marco

(19/03/2001)



Muito mais do que um simples cartão, o importante é sabermos transmitir o que Alguém significa para nós. E quanto a isso, penso que não temos dúvidas ao tamanho do meu amor e admiração por ti.
Neste mais um dia em que se recorda o "ser pai", tenho a certeza de que, se "vivermos na proporção em que amamos", então gozaremos da tua companhia até, pelos menos, aos 100!!!
Com um grande beijinho da Carla
(19/03/96)


Mais que o pai, quero ter sempre o amigo que está presente em todos os momentos que possa precisar.
Do filho que nunca se esquece, um beijinho neste teu dia.
(Marco 19/03/2002)


Que o "ser pai" seja uma função sempre continuada através da nossa constante aprendizagem e desenvolvimento.
Tudo de bom para ti, com um beijo do filho.

(Marco 19/03/2003)



"Neste dia, como em todos os outros, desejo-te toda a Saúde, Paz e Harmonia, para que consigas alcançar tudo o que de melhor procuras. E que, quando tal acontecer, eu possa estar o mais perto possível para testemunhar."
(Marco 19/03/2004)





Estejas onde estiveres,
faças o que fizeres,
serás sempre para mim
um grande exemplo,
em tudo,
e sei que será sempre pouco
o que fizer por ti.
Desde que me conheço e que penso como gente
que a tua opinião me orienta,
me acalenta,
e me carrega às vezes.
Por sempre achar que era parecida contigo
no plano emocional,
na maneira de encarar as oportunidades,
no interesse pelo valor da vida,
na curiosidade pela relação com o divino,
etc., etc,,
é frequente sentir
que tenho necessidade
que te orgulhes de mim.

Porque fazes parte de mim,
Porque sentes o que eu sinto,
Porque te alegras e choras comigo,
Porque me trazes dentro de ti,
Porque me conheces e eu te conheço,
Porque EU SEMPRE irei precisar muito de ti.

Tudo passa, Pai, só o Amor fica!
(Carla 1998)

Eu sei que isto já vai longo, muito longo... Eu sei, mas não importa! O dia é meu, preencho-o como bem entender! Hoje, estaria aqui o dia inteiro, recriando momentos, saltando e explodindo no som dos foguetes em festa. Hoje, podem os céus trovejar, pode a terra parar, partir-se em mil bocados, podem vir anjos armados, prontos pra me calar! Hoje, vou ler palavras de mim!

Se as aves partirem
e os amigos sumirem;
Se o céu trovejar
e o amor se apagar;
Se o mundo morrer
e a dôr vos doer;
Se a solidão vos surgir
e de medo ferir;
Se a terra gretar
e ninguém escutar;
Se a roda da vida
vos deixar sem saída...
Ainda assim,
ter-me-ão a mim!

sexta-feira, março 17, 2006

da rosário


Recebido por mail, há alguns dias, esta mensagem é um testemunho autêntico duma mulher que não esconde o que sente, não sabe disfarçar e merece uma ternura e um respeito especiais.
"Olá gente,
Quando tudo nos corre bem e como nós queremos, é fácil estarmos sempre ligados à Fonte. Mas quando as coisas não correm tão bem... quando nos deparamos com as dificuldades da realidade... é bbbbem mais complicado. A Fonte às vezes é muito, mas mesmo muito, difícil de encontrar. Mas o mais importante é nunca nos esquecermos que ela está lá e tentarmos sempre lá chegar.

O desafio que este texto nos faz é precisamente esse. Transformarmos diariamente os nossos pensamentos e atitudes mesmo quando as coisas não nos correm tão bem. É entendermos que somos seres de Luz e que se queremos retornar à condição de seres de Luz temos de nos livrar das camadas que nos cobrem, nos tornam densos e nos pesam e nos impedem de sermos livres. Afinal o estarmos ligados à Fonte é sermos Livres. Porque, enquanto Livres, podemos voar e quando voamos somos felizes e libertamo-nos das nossas amarras, medos e limitações.

Para mim vai começar um novo ano. O ano que passou foi intenso. Não foi fácil. Foi o ano em que eu aprendi o verdadeiro significado de perdoar. Foi o ano em que aprendi a ter calma e a esperar. A acreditar sem ter certezas, a confiar. Em que eu tive de me lembrar muitas vezes, que não me podia esquecer que, se eu modificar os meus sentimentos e a maneira de olhar para as coisas, a vida torna-se perfeita, e que deste modo poderia estar sempre em contacto com a Fonte.

E foi o ano em que fui à Índia. E foi na Índia que aprendi que há realmente lugares onde existe a paz absoluta e onde a Presença é constante, onde vi como, com simples atitudes no nosso dia a dia, podemos realmente transformar a nossa vida. Onde encontrei pessoas felizes e alegres, pessoas que sorriem e que sabem partilhar o bem estar com os outros, que sabem voar e libertar-se dos medos e das amarras. Onde vi que estar ligado à Fonte pode ser tão simples. Às vezes, basta um sorriso sincero. Aprendi que precisamos de mudar a nossa maneira de olhar para as coisas. E que muitas vezes precisamos de morrer para renascer.

Foi realmente um ano fantástico.

E porque novos pensamentos se transformam em novas experiências, eu quero criar novos pensamentos sobre mim e sobre a minha vida. E por isso mesmo EU DECRETO que este meu novo ano vai ser um ano em que vou ter todo o Amor do Mundo, toda a Luz, toda a Alegria, toda a Felicidade, toda a Paz e toda a Harmonia. Vai ser um ano cheio de Abundância.

EU MEREÇO.

E porque eu mereço, EU ACEITO-O.

EU SEI QUE É VERDADE.

Jinhos Luminosos para todos e grande "I Like You" para cada um em particular :):):)

Ligar o som: I_Like_You.swf

Rosário"

quinta-feira, março 16, 2006

a sua expectativa de vida

O correio por "e-mail" é um manancial de surpresas. Nem sempre são mensagens que me agradam, mas muitas têm "merecido" ser colocadas aqui, ora por graça, ora por curiosidade, ora por profundamente importantes.
Já publiquei posts de todos os tipos. Aqui vai mais uma, só para entreter. Confirme o tempo que ainda tem de vida, nesta terra:

terça-feira, março 14, 2006

a tal que gosta de estrelas...

Já tenho escrito (e dito pessoalmente) que, quando se escreve publicamente, estamos "sujeitos" a certos tipos de comentários menos simpáticos ou até ofensivos. A crítica é para ser aceite e quem escreve num blog tem que estar preparado para ser criticado. Os comentários são livres para toda a gente, nem toda a gente tem que estar de acordo com o que lê, e só assim as coisas fazem sentidos, porque com a diferença de opiniões todos aprendemos e evoluímos.

Tenho consciência de que um blog como o meu, que, para além de ser um "diário pessoal", trata maioritariamente assuntos relacionados com a espiritualidade, não pode ter um acordo unânime de ideias, e muita gente nem quererá saber disto para nada!
O respeito foi sempre um princípio que adoptei e, até hoje, com centenas de comentários recebidos, não apaguei, até hoje, UM ÚNICO. Os três ou quatro que eliminei eram publicidade...

O que é que isto tem a ver com o título do post de hoje? Nada! Apenas quero dizer que alguns comentários recebidos afirmam que há palavras AQUI ESCRITAS que têm "feito muito bem" a certas pessoas!... Pode não ter qualquer importância, mas TEM!... Para mim, tem!...

No dia 12 de Março, às 10:21, foi colocado este comentário num post que publiquei recentemente:

"Para comentar o seu texto, teria que escrever uma outra mensagem, contradizendo essa idéia absurda que a pessoa de maneira confusa colocou nesse texto."

Nesse mesmo dia 12 de Março, às 13:44, recebi este mail:
"Há muito tempo que ando para escrever este mail, e agora que me decidi por escrevê-lo, as palavras parece que fogem. Quero agradecer-te toda a luz que vais dando com as tuas palavras, a paz que transmites nelas e obrigada por mais de uma vez, sem o saberes, ao ler-te, me teres feito de novo acreditar. Um abraço sincero"

Não conheço as pessoas em questão, nem menciono as origens, porque isso, sim, pouca importância tem!
Este último é, naturalmente, da "tal que gosta de estrelas", a que o título se refere.
Este post, vai para ela inteirinho!
Não sei quem és, mas sei Aquilo Que És! Um dia, lembrar-te-às que "és" muito mais do que aquilo que aparentas. Confia! E agradece à Vida o quanto a vida te oferece! E não "desperdices" os teus momentos. Lembra: Somos Todos Um.
Que o Universo faça brilhar a tua luz com mais força, e te mostre claramente as dádivas que tem para ti!


segunda-feira, março 13, 2006

A corda

No dia 13 de Março de 2005, estava este blog no seu começo, trouxe aqui esta história. Na minha opinião, é uma história fantástica, soberba! Por isso, um ano depois, aqui vem ela de novo:

Contam que um alpinista, desesperado por conquistar uma altíssima montanha, iniciou a sua travessia, depois de anos de preparação. Mas como queria a glória só para si, decidiu subi-la sem os companheiros.

Começou a subir, mas foi-se fazendo tarde e mais tarde, e em vez de se preparar para acampar, decidiu continuar a subir, até que anoiteceu.

Caiu a noite muito escura na montanha, ao ponto de não se poder ver absolutamente nada. Tudo era negro, sem visibilidade, a lua e as estrelas estavam escondidas pelas nuvens.

De súbito, ao subir uma escarpa, a apenas poucos metros lá de cima, resvalou e precipitou-se no ar, caindo a uma velocidade vertiginosa. O alpinista apenas via velozes manchas escuras e a terrível sensação de ser sugado pela gravidade. Seguiu caindo... e nesses angustiosos momentos, passaram-lhe pela mente todos os episódios felizes e não felizes da sua vida.

Pensava na proximidade da morte quando, de repente, sentiu um fortíssimo esticão da corda que o amarrava da cintura às estacas cravadas na rocha da montanha.

Nesse momento de quietude, suspenso no ar, não teve outra alternativa senão gritar:
"AJUDA-ME, MEU DEUS!!!"

De repente, uma voz grave e profunda vinda dos céus perguntou-lhe:
"QUE QUERES QUE FAÇA?"

"Salva-me, meu Deus!"

"REALMENTE, CRÊS QUE EU TE POSSO SALVAR?"

"Com certeza, Senhor!"

"ENTÃO, CORTA A CORDA QUE TE SUSTEM..."

Houve um momento de silêncio. No meio da escuridão, o homem agarrou-se ainda mais à corda que o sustinha.



Se fosse você, o que faria? Soltaria a corda?...

Pois o final da história é muito curto:
Conta a equipa de resgate que, no outro dia, encontraram um alpinista pendurado, morto, congelado, com as mãos agarradas fortemente à corda...… A APENAS DOIS METROS DO SOLO...

sábado, março 11, 2006

A Alma de Deus


"És um ser de três partes, composto de corpo, mente e espírito.
Eu sei onde está o meu corpo, porque o vejo.
A tua mente não está na tua cabeça. Está em todas as células do teu corpo.
Aquilo a que chamas mente é, na realidade, energia.
É... o pensamento. E o pensamento é uma energia, não é um objecto.
O teu cérebro é um objecto. É um mecanismo físico e biológico - o maior, o mais sofisticado - mas não o único mecanismo do corpo humano, com o qual o corpo traduz, ou converte, a energia que é o pensamento em impulsos físicos.
O cérebro é um transformador. E o corpo inteiro também. Tem pequenos transformadores em cada célula. Os bioquímicos têm referido com frequência como as células individuais - os glóbulos do sangue, por exemplo - parecem ter inteligência própria. E têm, de facto.
Então a mente encontra-se em cada célula...
E há mais células no cérebro que em qualquer outra parte, por isso parece que a mente se encontra lá. Mas é apenas o principal centro de processamento, não é o único.
Então onde está a alma?
Está em toda a parte.
Há espaços entre as células. De facto, o teu corpo é noventa e nove por cento espaço.
A alma está em toda a parte, dentro, através e à volta de ti. É o que te contém.
A alma é maior do que o corpo. Não é carregada dentro o corpo, mas carrega o corpo dentro de si.
Já ouviste falar numa "aura"?
É o mais que nos podemos aproximar, na tua linguagem, no teu entendimento, para te dar uma imagem de uma realidade enorme e complexa. A alma é o que te conserva inteiro, tal como a Alma de Deus é o que contém o Universo, e o conserva inteiro.
Mas se a alma é, num certo sentido, "o ar dentro e em volta de nós", e se as almas das outras pessoas são o mesmo, onde termina uma alma e começa outra?
Não há nenhum lugar onde outra alma "acaba" e a nossa "começa"!
É tudo a mesma alma!
Acabas de descobrir o segredo do Universo.
E se Tu és o que contém o Universo, tal como nós somos o que contém os nossos corpos, então não há nenhum lugar onde Tu "acabas" e nós "começamos"!
...Agora vejo, na verdade pela primeira vez, em termos físicos, como é possível que uma alma não "acabe" e outra "comece", e que é fisicamente verdade que Somos Todos Um!
Existe Um só Ser, portanto Uma só Alma. E, há muitas almas no Único Ser.
A dicotomia funciona assim: Acabas de ouvir explicar que não existe separação entre as almas. A alma é a energia vital que está dentro e à volta de todos os objectos físicos (a sua aura). Num certo sentido, é o que "mantém" os objectos físicos no seu lugar. A "Alma de Deus" contém o Universo, a "alma do homem" contém cada corpo humano individual.

(Neale Walsch in "Conversas com Deus")

sexta-feira, março 10, 2006

a parábola do pedinte

Se olharmos despretensiosamente para o que se passa à nossa volta, e para o que se passa mais além, por este mundo, é fácil notarmos que o que está presente em cada pensamento é possuir, conquistar, manter um determinado nível, integrar-se no meio social em que está inserido, alicerçando os seus projectos numa vida saudável, economicamente estável e socialmente integrado.
Há os que conseguem esse estatuto e há os que vão ficando cada vez mais desiludidos e defraudados nas suas expectativas.
A vida não é fácil de acordo com padrões adquiridos e ambicionados.
E o homem olha para aquilo que tem, procura mais, deseja adquirir o que vê na posse do amigo ou vizinho, é aliciado por um consumismo minuciosamente estudado, e transforma-se num ser insaciável procurando "ter"!
Esta curtinha história começa assim:

Havia mais de trinta anos que um pedinte se sentava na berma de uma estrada. Um dia, passou por ali um estranho.
- Alguma moedinha? - pedinchou o pobre, estendendo automaticamente o seu boné de basebol.
- Não tenho nada para te dar. - disse o estranho. Depois, perguntou:
- O que é isso em que te sentas?
- Nada! - respondeu o pedinte - Apenas uma caixa velha. Sento-me nela desde que me lembro.
- Algum dia viste o que tem dentro? - tornou o estranho.
- Não. - respondeu o pobre - De que me serviria? Não há nada lá dentro.
- Vê o que tem dentro. - insistiu o estranho.
O pedinte conseguiu forçar a tampa. Com surpresa, incredibilidade e exaltação, verificou que a caixa estava cheia de ouro.

Moral da história? Por vezes, precisamos que um estranho nos diga para olharmos para dentro de nós próprios.

quarta-feira, março 08, 2006

dia internacional da mulher


Hoje, vou dedicar este post exclusivamente à mulher! Para me associar ao seu dia e para lembrar algumas figuras que ficaram na história.

Durante séculos, o papel da mulher incidiu sobretudo na sua função de mãe, esposa e dona de casa. Ao homem estava destinado um trabalho remunerado no exterior do núcleo familiar. Com o incremento da Revolução Industrial, na segunda metade do século XIX, muitas mulheres passaram a exercer uma actividade laboral, embora auferindo uma remuneração inferior à do homem. Lutando contra essa discriminação, as mulheres encetaram diversas formas de luta na Europa e nos EUA.

LENDA E REALIDADE

A lenda do Dia Internacional da Mulher como tendo surgido na sequência de uma greve, realizada em 8 de Março de 1857, por trabalhadoras de uma fábrica de fiação ou por costureiras de calçado - e que tem sido veiculada por muitos órgãos de informação - não tem qualquer rigor histórico, embora seja uma história de sacrifício e morte que cai bem como mito.
Em 1982, duas investigadoras, Liliane Kandel e Françoise Picq, demonstraram que a famosa greve feminina de 1857, que estaria na origem do 8 de Março, pura e simplesmente não aconteceu (Se consultarmos o calendário perpétuo e digitarmos o ano de 1857, poderemos verificar que o 8 de Março calhou a um domingo, pelo que nunca poderia ter ocorrido uma greve nesse dia de descanso semanal), não vem noticiada nem mencionada em qualquer jornal norte-americano, mas todos os anos milhares de orgãos de comunicação social contam a história como sendo verdadeira («Uma mentira constantemente repetida acaba por se tornar verdade»).

Verdade é que em 1909, um grupo de mulheres socialistas norte-americanas se reuniu num "party’, numa jornada pela igualdade dos direitos cívicos, que estabeleceu criar um dia especial para a mulher, que nesse ano aconteceu a 28 de Fevereiro. Ficou então acordado comemorar-se este dia no último domingo de Fevereiro de cada ano, o que nem sempre foi cumprido.
A fixação do dia 8 de Março apenas ocorreu depois da 3ª Internacional Comunista, com mulheres como Alexandra Kollontai e Clara Zetkin. A data escolhida foi a do dia da manifestação das mulheres de São Petersburgo, que reclamaram pão e o regresso dos soldados. Esta manifestação ocorreu no dia 23 de Fevereiro de 1917, que, no Calendário Gregoriano (o nosso), é o dia 8 de Março. Só a partir daqui, se pode falar em 8 de Março, embora apenas depois da II Guerra Mundial esse dia tenha tomado a dimensão que foi crescendo até à importância que hoje lhe damos.
A partir de 1960, essa tradição recomeçou como grande acontecimento internacional, desprovido, pouco e pouco, da sua origem socialista.

Tivémos e temos em Portugal grandes mulheres que se notabilizaram no mundo das letras e das artes. Escolhi apenas 9 nomes, porque o espaço não permite muito mais.





(Texto e fotos de "o Leme.pt")


POESIA QUE A MULHER FAZ

Teu corpo seja brasa
e o meu a casa
que se consome no fogo

um incêndio basta
pra consumar esse jogo
uma fogueira chega
pra eu brincar de novo

(Alice Ruiz)


Cheia de penas me deito
E com mais penas me levanto
Já me ficou no meu peito
O jeito de te querer tanto

Tenho por meu desespero
Dentro de mim o castigo
Eu digo que não te quero
E de noite sonho contigo

(Amália Rodrigues)


Formosa.
Esses peitos pequenos, cheios.
Esse ventre, o seu redondo espraiado!
O vinco da cinta, o gracioso umbigo, o escorrido
das ancas, o púbis discreto ligeiramente alteado,
as coxas esbeltas, um joelho único suave e agudo,
o coto de um braço, o tronco robusto, a linha
cariciosa do ombro...
Afrodite, não chorei quando te descobri?

(Irene Lisboa)


Sonhei comigo
esta noite
Vi-me ao comprido
Deitada
Tinha estrelas
nos cabelos
em meus olhos
madrugadas
Sonhei comigo
esta noite
como queria
ser sonhada
Senti o calor da mão
percorrendo uma guitarra
De longe vinha um gemido
uma voz desabalada
Havia um campo
de trigo
um sol forte
me abrasava.
E acordei
meio sonhando
procurando
me encontrar
Quando me vi
ao espelho
era teu
o meu olhar.

(Eugénia Tabosa)



Quebra a gaiola, pássaro louco!
Não mais fronteiras, foge de mim,
que a terra é curta, que o mar é pouco,
que tudo é perto, princípio e fim.

(Fernanda Castro)


Li um dia, não sei onde,
Que em todos os namorados
Uns amam muito, e os outros
Contentam-se em ser amados.

Fico a cismar pensativa
Neste mistério encantado...
Digo pra mim: de nós dois
Quem ama e quem é amado?...

(Florbela Espanca)

terça-feira, março 07, 2006

Home with God


Está prevista para este mês de Março, nos Estados Unidos, a publicação do último capítulo das "Conversas com Deus" que Neale Donald Walsch intitulou "Home with God - numa vida que nunca acaba".

Num trabalho grandioso que faz sobressair o conforto e a compaixão, Neale explora as perguntas finais sobre a existência e a transcendência.

Nada tem interessado tanto a humanidade - nem outra coisa tem sido mais temida - do que a experiência a que chamamos morte.

Em "Home with God" , a prestação final para a série que vendeu milhões pelo mundo inteiro, Neale Donald Walsch faz as perguntas que toda a gente tem feito com mais insistência e recebe as respostas que todos os leitores esperam ansiosamente.

Através deste diálogo profundo e pessoal com Deus, Walsch explora o processo pelo qual todos os seres humanos devem terminar os seus dias aqui na terra e começam as suas novas vidas no reino de Deus, ao qual todos retornam eventualmente e independentemente das suas acções aqui na terra. Um trabalho espiritual que oferece esperança, conforto e revelações surpreendentes para todo o ser humano.

sábado, março 04, 2006

fumar?


Osho tem uma história num dos seus livros que é um exemplo de como se pode utilizar uma certa técnica para ajudar quem deseja deixar de fumar.
Deixar de fumar pode ser um desejo, pode ser uma ideia vaga ou pode ser uma obsessão. O homem, a mulher, tem procurado, através de medicamentação, através de terapias e demais processos, deixar o tabaco, convicto que está da sua acção prejudicial sobre o organismo.

O fumador inveterado de Osho queria, insistentemente, deixar o cigarro. Afirmava que no dia seguinte iria largar o tabaco, mas a manhã chegava e o desejo de fumar continuava. O vício era infinitamente mais poderoso do que a sua luta diária.
Então, Osho propôs-lhe que durante sete dias fumasse à vontade. Não pensasse nessa ideia de abandonar o tabaco. "Fume, simplesmente, despreocupado, delicie-se, prazentei-se, goze o seu sabor, sacie-se!"

A ideia era a seguinte: durante aquele espaço de tempo, ele não iria pensar no mal que o tabaco lhe fazia, não iria estar contra o fumo, não iria olhar o tabaco como um inimigo.. Apenas, aceitá-lo, sem o julgar, apenas fumando sem a ideia de o querer abandonar. Sem nenhuma luta interna.
Ao fim dos sete dias, ele verificou que aquela situação lhe dava um certo conforto. Sentia-se bem, sem conflitos na sua mente, apenas sentindo prazer, como se o tabaco fosse o seu melhor amigo.
Então, Osho disse-lhe:
"Agora, logo que sentir o impulso para fumar, simplesmente abandone-o! Pegue o cigarro na mão, pare um momento, olhe para ele e abandone-o. Deixe-o cair e enquanto o cigarro cai, deixe o impulso interno cair também."

A técnica consistia no simples processo de deixar de lutar contra um desejo. Em tudo o que fazemos, a nossa mente está presente. Psicologicamente, filtramos todos os nossos pensamentos antes de os executarmos. A simples decisão de deixar de fumar levava-o a entrar em confronto com a sua mente e ele acabava sempre vencido, tomado pela fraqueza, pela culpa, pelo fracasso.
O pensamento é energia. Energia em movimento.
Antes de deitar fora o cigarro, naquele momento, ele considerou-o como um facto. Não houve julgamento. A mente não o reprimiu.
Quando o impulso para fumar lhe surgiu, ele parou o impulso. Toda a energia que estava em movimento naquele impulso mudou de direcção e deu um salto para dentro.

A energia é implesmente energia. Não há energia boa ou energia má.
O pensamento é que lhe dá essa definição, de acordo com o resultado.

Mas esta técnica não é uma técnica fácil. Olhar um desejo, sem o julgar primeiro, deve ser das coisas mais difíceis de executar.
A mente do ser humano está profusamente tomada por valores adquiridos, ao longo dos anos, através de culturas e ensinamentos que as gerações vão perpetuando.
Por isso, não é fácil a mente abstrair-se do seu primeiríssimo julgamento.

sexta-feira, março 03, 2006

Deus? O que é Deus?


Sou Deus tal como vocês O entendem. Sou Deusa tal como vocês A aceitam. Sou o Inventor e o Criador de Todas as Coisas que vocês agora conhecem e experienciam e vocês são os Meus filhos... ainda que Eu seja filho de outro.

Estou a dizer-te que a tua percepção de suprema realidade é mais limitada do que pensavas e que a Verdade é mais ilimitada do que possas imaginar.

Se conceberes Deus como teu criador e senhor... sou o Deus do teu entendimento.

Para Sempre é mais tempo do que o que tu conheces. Eterno é mais tempo que Para Sempre. Deus é mais do que tu imaginas. Imaginar é mais do que Deus. Deus é a energia a que chamas imaginação. Deus é criação. Deus é o primeiro pensamento. E Deus é a última experiência. E Deus é tudo o que está entre uma coisa e outra.

Considera a mais pequena porção do universo que consigas imaginar. Imagina uma ínfima, ínfima partícula de matéria.
Agora corta-a ao meio.
Ficaste com duas metades mais pequenas.
Corta essas ao meio.
Ficaste com duas metades MAIS PEQUENAS.
Agora outra vez, e outra! Com que ficas?
Com partículas cada vez mais pequenas.
Quantas vezes podes dividir a matéria até ela deixar de existir?
Nunca se consegue destruí-la por completo. Só podes alterar-lhe a forma.
Pois Eu digo-te: acabaste de descobrir o segredo da vida e de olhar para dentro da infinidade.

Mas se a pequenez não tem fim, a grandiosidade também não.
Mas se a grandiosidade não tem fim, então O MAIOR DE TODOS não existe.
O que significa que - Deus é tudo e nada mais existe.


(Neale Walsch in CWD trilogy)

quarta-feira, março 01, 2006

vou fazer amor contigo

VOU FAZER AMOR CONTIGO COMO SE FOSSE UMA DEUSA


Vou fazer amor contigo esta noite como se fosse uma deusa que nasceu para te amar...
Vou dançar no teu corpo um bailar de véus e de sentidos até já não haver céu...
Vou levar-te a passear por entre as estrelas num trilho de abraços e de luar
E prolongar os meus braços ao sal da tua pele quando os meus lábios tocarem os teus
E as tuas mãos não souberem mais como ocultar os teus anseios...
E os meus seios vão chamar pela lua e pelos ventos e até pelas ondas do mar
No ondular da tua língua no epicentro do universo da minha vontade e dos teus desejos...



Vou dançar este amor contigo numa ilha sem nome ao som dos sussurros
Que os teus lábios não conseguem guardar.
E vou ouvi-los em forma de gemidos entrelaçados no som do mar...
E ao arquejar do meu corpo, a cada compasso dessa melodia que vamos cantar...
Saberás que te amo mais que à vida e que dançarei até ao fim...
E de ti soltarás a nascente de fogo e de vida que desaguará em mim...



E, de seguida, estenderás os braços num abraço para que adormeça em ti!
E eu sentirei o beijo com que fechas as cortinas da noite em que fiz amor contigo assim...
Daquela noite enlevada nas palavras e no nosso sentir
Daquela distância tão próxima do nosso amor
A tua voz tremia e o teu coração chamava por mim

Amo-te
(Cristina Fidalgo)