Lisboa,

sábado, junho 19, 2010

silêncio



Já não sei
se sou lembrado
se a neblina
me esconde
ou então
se acordado
o teu sorriso
responde

Já não sei
se é verdade
se o espelho
já me trama
ou então
se a eternidade
perde a estrela
que me chama

Tão longe e tão perto
mora o silêncio de ti
vira desejo que esgana
um sonho que nunca engana
quem é alegre e que ri

O final de cada história
ficará sempre guardado
naquilo que faz sentido
no sentir desiludido
e num poema traçado

Já não sei
se estás aí
ou se o sonho
te levou
ou então
se já morri
no amor
que já não sou

Cai a chuva
de mansinho
cai a noite
sem luar
o silêncio
do caminho
vem sereno
a flutuar


(Amaral Nascimento)

quinta-feira, junho 10, 2010

o símbolo perdido


"Peter, a Bíblia e os Mistérios Antigos são absolutamente opostos. Os mistérios têm tudo a ver com o deus que temos dentro de nós... o homem como deus; a Bíblia tem tudo a ver com o Deus acima de nós... e com o homem como um pecador impotente."
"Sim! Exactamente! Acabaste de pôr o dedo na ferida! No momento em que a humanidade se separou de Deus, perdeu-se o verdadeiro significado da Palavra. As vozes dos mestres antigos estão agora abafadas, perderam-se no ruído caótico dos autoproclamados praticantes a gritarem que só eles compreendem a Palavra... que a Palavra está escrita na sua língua e em mais nenhuma."
Peter continuou a descer as escadas.
"Robert, ambos sabemos que os antigos ficariam horrorizados se vissem a forma como os seus ensinamentos têm sido pervertidos... a forma como a religião se estabeleceu como uma portagem para o Céu... como os guerreiros marcham para a batalha acreditando que Deus favorece a sua causa. Nós perdemos a Palavra, contudo o seu verdadeiro significado ainda está ao nosso alcance, mesmo diante dos nossos olhos. Existe em todos os textos eternos, da Bíblia ao Bhagavad-Gita, ao Alcorão, etc. Todos esses textos são reverenciados nos altares da Franco-Maçonaria, porque os maçons compreendem aquilo que o mundo parece ter esquecido... que cada um desses textos, à sua maneira, sussurra serenamente a mesma mensagem." - A voz de Peter ficou embargada pela emoção. - "Não sabeis que sois deuses?"
...
"A minha investigação levou-me a acreditar no seguinte - disse Katherine. - Deus é muito real, é uma energia mental que invade tudo, e nós, como seres humanos, fomos criados a essa imagem..."
"Desculpe? - interrompeu Langdon. - Criados à imagem de... energia mental?"
"Exactamente. Os nossos corpos físicos evoluíram ao longo das eras, mas foram as nossas mentes que foram criadas à imagem de Deus. Temos lido a Bíblia de forma demasiado literal. Aprendemos que Deus nos criou à sua imagem, mas não são os nossos corpos físicos que se assemelham a Deus, mas sim as nossas mentes."
Langdon estava agora calado, totalmente absorto.
"Esta é a grande dádiva, Robert, e Deus está à espera de que a compreendamos. Em todo o mundo estamos a olhar para o céu, à espera de Deus... sem perceber que Deus está à nossa espera." - Katherine fez uma pausa, deixando que as suas palavras fossem devidamente digeridas. - Nós somos criadores e, contudo, desempenhamos ingenuamente o papel de "entidades criadas". Vemo-nos como cordeiros indefesos guiados pelo Deus que nos fez. Ajoelhamo-nos, como crianças assustadas, a pedir ajuda, perdão e sorte. Mas assim que percebemos que fomos mesmo criados à imagem do Criador, começamos a perceber que também nós devemos ser Criadores. Quando compreendemos esse facto, as portas abrem-se de par em par ao potencial humano."

(Dan Brown in O símbolo perdido)

segunda-feira, junho 07, 2010

abro o peito


Abro o peito
e jorro de luz
o meu ser
Já não sei quem sou
já esqueci o lugar
a fonte
o sítio pra onde vou

Abro o peito
que me arrasta
em cascata
Sou o que sou
para lá do incerto
carente
o barco que afundou

Abro o peito
e convido a dor
a entrar
Já não sei quem és
perdi o teu riso
o sonho
que vi a meus pés


(Amaral Nascimento)

quarta-feira, junho 02, 2010

somos apenas um



We are all One

video