Lisboa,

sábado, junho 30, 2012

o que escreve no Facebook


«Sabemos o que anda a fazer.»
Callum Haywood, um estudante britânico de 18 anos, quer provar que os comentários que colocamos no Facebook podem ser muito mais públicos do que imaginamos. Por isso fez um site onde revela quem quer ser despedido, quem está de ressaca, quem usa drogas e quem tem um telemóvel novo.
E lá estão longas listagens de posts com revelações. Há quem diga que odeia o chefe, quem tenha mudado de telefone e apresente o novo número ao mundo (e não apenas aos amigos), quem escreva que «Deus fumou cannabis» e quem se queixe de estar de ressaca. Este é aliás o tema com mais entradas.
Callum aplicou uma ferramenta que permite recolher posts onde aparecem precisamente esse tipo de «palavras-chave», e lá vão elas parar ao seu site. E diz que o projeto Weknowwhatyourdoing.com é «uma experiência», para provar que a privacidade nas redes sociais é uma ilusão.
«Choca-me muito o que as pessoas revelam nos seus posts públicos do Facebook, que é uma das razões por que lancei o site», explicou Callum à CNN: «Criei-o para que as pessoas tenham noção das questões que levanta colocar esse tipo de informação no Facebook sem definições de publicidade ativadas.»

O site foi lançado na segunda-feira e Callum conta que ao fim de 24 horas já tinha 120 mil visitantes únicos. Tem milhares de likes, de utilizadores do Facebbok.
O estudante de Nottingham deixa no site um aviso a dizer que não se responsabiliza pelos comentários colocados, mas a disponibilizar-se para retirar algum post mais comprometedor, a pedido do utilizador. Mas recorda que isso não o apagará do Facebook."

(TVI24-27/6/2012)

quarta-feira, junho 27, 2012

meditando...

"Nunca estás separado do ser,
que é o mesmo que a felicidade.
Sê o próprio, isso é felicidade.
Se realizares no teu coração
aquilo que é a tua verdadeira natureza,
encontrarás a verdade e a felicidade infinitas
sem princípio nem fim."

(Ramana Maharshi
professor iluminado indiano - 30/12/1879-14/04/1950)


quinta-feira, junho 21, 2012

provocante

A foto mais provocante encontrei-a no "Esconderijo do observador"... Assim mesmo, sem tirar nem pôr...

quarta-feira, junho 13, 2012

na ausência do eu


 

No sonho estamos paredes-meias com o irreal, o toldar de momentos por vezes desconhecidos, incompreendidos, inexplicáveis...
O sonho esconde a marcha do tempo, mistura tons e odores e sons...
Na ausência do eu, o espaço e o tempo confundem a mente, retiram o palpável absoluto e acrescentam o halo misterioso do que "acontece" para além do finito, do conseguível ou do momento que apelidamos de presente.
No sonho, a consciência deambula e o querer dissolve-se no desejo alcançável de formas subtis e diversamente inexplicadas.
Quando a ausência do eu acontece, é alcançado um patamar distante.  Parcamente explicável, este patamar não surge depois duma qualquer escalada. Ele surge por detrás duma porta que se abre ou no repentinismo dum abir e fechar de olhos.
Na ausência do eu, a Criação brilha e reencontra a individualidade que é Sua.

sábado, junho 09, 2012

lágrima



Nos teus lábios carnudos,
sonhei o beijo
que ousei
pensar que um dia te daria...

Tal como os teus olhos reli
e a tua pele toquei,
e aquele abraço
que a brisa traz
sempre que o mar assobia...

Resiste em mim
o desejo de rir e chorar contigo!
Sinto a escuridão e a sede,
no meio da multidão,
só, perdido e sem abrigo...




video
 
 

Se eu soubesse...
e porquê?...
Porque sim!...



sábado, junho 02, 2012

anestesia


Quando acordei, apenas lembrava que tinha estado entre crianças... tudo crianças... somente crianças...
Depois... a pouco e pouco, a dôr no olho tornou-se mais consciente, o ruído à minha volta tornou-se mais evidente... e a doce sensação que experimentara foi-se esvaindo...
Foi muito bom "acordar" desta maneira, com aquela lembrança suave e bela.



sexta-feira, junho 01, 2012

o nosso olho



As principais partes do olho humano são:

A córnea que é a parte da frente do olho, onde vemos o branco do olho e a íris. A córnea normal é transparente e esférica.

O cristalino que é uma lente gelatinosa, elástica e convergente que focaliza a luz que entra no olho, formando imagens na retina. A distância focal do cristalino é modificada por movimentos de um anel de músculos, os músculos ciliares, permitindo ajustar a visão para objectos próximos ou distantes. Chama-se a isto a acomodação do olho à distância do objecto.
A convergência correcta do cristalino faz com que a imagem de um objecto, formada na retina, fique nítida e bem definida. Se for maior ou menor que a necessária, a imagem fica fora de foco, como se costuma dizer.

A íris que é  aquela parte circular que dá a côr do olho. É opaca mas tem uma abertura central, a PUPILA, por onde entra a luz. O diâmetro da pupila varia automaticamente com a intensidade da luz ambiente: no claro ela é estreita e no escuro dilata-se. O seu diâmetro pode passar de 2 mm a 8 mm, aproximadamente.

A retina que é  nela que se formam as imagens das coisas que vemos. A retina é composta por células sensíveis à luz, os cones e os bastonetes. Estas células transformam a energia luminosa das imagens em sinais nervosos que são transmitidos ao cérebro pelo nervo óptico.


Vou retirar o cristalino do meu olho direito e substituí-lo por uma lente artificial.
É o que se chama ser operado às cataratas.