Lisboa,

quinta-feira, fevereiro 08, 2007

no silêncio



No silêncio
encontraste os teus segredos

Ouviste um som doce
como um riacho sorrindo
e escutaste o murmúrio
duma canção que
vibrando
veio da alma
do fundo
longe dos ruidos agrestes
produzidos por este mundo

No silêncio
encontraste a felicidade

Encontraste as mil maneiras
de ver cantadas as flores
e ver sorridas as fontes
duma vigília que
sendo
veio da alma
do amor
experimentado duma forma
sem sofrimento nem dor


(Amaral Nascimento)
(imagem de Mercedes_Fariña)

22 Comentários:

At fevereiro 08, 2007 1:32 da manhã, Blogger Nanny diz...

Que post fabuloso!!!!

Do erotismo suave da imagem, ao erotismo discreto das tuas palavras, não faltou nada... que calor que se sente aqui hoje!

Festinha da gata

 
At fevereiro 08, 2007 2:37 da manhã, Blogger Presença diz...

A vivencia desse amor encarnado... tao magico e profundo!

Bjo carinhoso

 
At fevereiro 08, 2007 7:41 da manhã, Blogger Dark-me diz...

Por vezes é mesmo assim...no silêncio encontramos tudo...!

Bjo

 
At fevereiro 08, 2007 9:51 da manhã, Blogger Jonice diz...

suspiro ...
Amaral, se eu não conseguir chegar à tempo na noite de autógrafos de teu livro de poemas, mandas-me um exemplar pelo correio por favor?
Beijinho

 
At fevereiro 08, 2007 9:59 da manhã, Blogger Cris diz...

Lindissimo!!!! tem uma delicadeza celestial em cada palavra.

Bjos
Cris

 
At fevereiro 08, 2007 10:09 da manhã, Blogger Isabel-F. diz...

lindo ...
suave ...

bjs

 
At fevereiro 08, 2007 10:33 da manhã, Anonymous Secreta diz...

No silêncio , encontrada a paz.
Beijito.

 
At fevereiro 08, 2007 11:05 da manhã, Blogger Paula Raposo diz...

Adorei este teu poema!! Normalmente gosto de todos os que escreves. Obrigada pelas tuas palavras no eco. Muitos beijos.

 
At fevereiro 08, 2007 1:38 da tarde, Blogger Poemas e Cotidiano diz...

Meu amigo Amaral:
O silencio é a forma mais intensa de ouvirmos nossas proprias vozes.
Atraves dele, podemos ouvir o barulho dos nossos sentimentos, sem poluicoes.
No silencio, encontramos tantas respostas nas entrelinhas.
Maravilhosa poesia, meu amigo. Gosto demais do jeito que voce escreve.
Um beijo carinhoso
MARY

 
At fevereiro 08, 2007 5:00 da tarde, Blogger Desassossego diz...

Reconfortante, é como sinto este teu poema...
O nosso silêncio que por vezes grita... conta segredos, embala e serena...
Beijo doce.

 
At fevereiro 08, 2007 6:22 da tarde, Blogger Brisa do Mar diz...

Um dia alguém disse que a solidão vicia, tanto como as drogas...
Em primeiro lugar devemos de ser uma boa companhia para nós, para depois o sermos para os outros.
Fica bem!

 
At fevereiro 08, 2007 6:51 da tarde, Blogger Luna diz...

Ao ler em silencio este poema, sinto em cada palavra a suavidade magica que vem do fundo da alma
jinhos

 
At fevereiro 08, 2007 7:10 da tarde, Blogger Sofia diz...

Tão bonito...

 
At fevereiro 08, 2007 10:51 da tarde, Blogger ci diz...

no silêncio das tuas palavras...ouço tanta coisa...:)

beijinhos da ci

 
At fevereiro 08, 2007 11:27 da tarde, Blogger cacharel diz...

Que sensualidade... nesta imagem, nas tuas palavras.

No silêncio alcançamos tudo. Até os sonhos mais longíquos e impossíveis...

Beijo perfumado*

 
At fevereiro 09, 2007 1:36 da manhã, Blogger noivo diz...

cada post que leio, mais adoro (aprendo) a gostar da tua escrita!

 
At fevereiro 09, 2007 9:44 da manhã, Blogger Isabel-F. diz...

bom fim de semana Amaral,

Bjs

 
At fevereiro 09, 2007 2:39 da tarde, Blogger karla diz...

silêncio...tantas vezes o nosso amior e fiel companheiro...

beijinhos

 
At fevereiro 09, 2007 4:29 da tarde, Blogger ana maria costa diz...

um poema do Amaral mas que bem!

segredos Amaral...segredos!

obrigado.

 
At fevereiro 09, 2007 5:49 da tarde, Anonymous João Cordeiro diz...

Olá,
Que posso eu dizer se os meus olhos não falam!
Transmitem emoções, a essa beleza inconfundível
que as palavras me transmitem
Aqui estou eu para te dar o meu apoio e solidariedade
Soberbo... continua…
Meu blog:
http://www.sonhadoremfulltime.blogspot.com/

 
At fevereiro 09, 2007 11:30 da tarde, Blogger Menina_marota diz...

Um poema que afaga a alma...e que me transmite uma ternura imensa...

Grata por este momento.

Um abraço carinhoso ;)

 
At fevereiro 10, 2007 5:38 da tarde, Blogger Su diz...

jocas maradas de silencio

 

Enviar um comentário

<< Home