Lisboa,

terça-feira, março 31, 2009

chuva


Chuva
silenciosa
redonda
vaidosa

chuva que cai
que chora
que ri
que afaga e sente

chuva que fala
e murmura
e embala
e geme com a gente

Chuva do sul
e do norte
chuva que brota da vida
fortuna da sorte

chuva do mar
que encharca o navio
chuva do rio
que se encolhe na berma
e tirita de frio

chuva dos céus
a benção que seja
que beija o teu corpo
e me enche de inveja


(Amaral Nascimento)

7 Comentários:

At março 31, 2009 4:38 da manhã, Blogger Conceição Duarte diz...

Amaral, estava em falta com vc. Agora retomo minha vida aqui. Meu Deus como é difícil fazer só aquilo que gostamos, não é? Enfim, sempre temos o tempo do mundo!
Inveja, inveja da chuva?
Que lindo!
Um beijo, fique bem, até a próxima... A música é sempre suave! CON

 
At março 31, 2009 8:57 da manhã, Blogger Secreta diz...

Inveja da chuva... hm... quem não tem!
Beijito :)

 
At março 31, 2009 9:34 da tarde, Blogger Poemas e Cotidiano diz...

Querido Amaral:
Nao gosto de chuva. Engracado, ne? Prefiro ate NEVE e chuva de GELO do que chuva...
Chuva me entristece. Me deixa amarrada em mim.
Sei que as flores precisam dela. Sei que ela eh necessaria. Mas dias de chuva para mim sao os mais tristes.
Beijos querido
MARY

 
At março 31, 2009 10:57 da tarde, Blogger frAgMenTUS diz...

eu, se pudesse reencarnaria chuva, gaivota ou brisa...acho q a chuva á mágica, purificadora, revitalizante!

adoro sentir a chuva (nem uso guarda-chuva:)

gostei deste tributo à chuva, singelo, bonito

bj

 
At abril 01, 2009 1:02 da manhã, Blogger frAgMenTUS diz...

acabei de poetar ao som deste piano, depois pode dar-me o link da música, p favor? :) grata

 
At abril 01, 2009 12:34 da tarde, Blogger Paula Raposo diz...

Uma maravilha de poema, que achei extremamente sensual...beijos.

 
At abril 01, 2009 8:03 da tarde, Blogger © Piedade Araújo Sol diz...

Amaral

um poema inspirado pela chuva, e uma ternura nas tuas palavras.

muito bonito, sensual q.b.

um beij

 

Enviar um comentário

<< Home