Lisboa,

quinta-feira, março 19, 2009

pai



É sempre um adeus.
Mas não vai ser um adeus para sempre.
A morte só existe para o corpo que a alma sustém.
A morte leva a matéria deste mundo.
A morte impede-nos de ver fisicamente.

A morte,
eterno espinho que desafia o ser humano…

Mas afinal, para onde vais,
pai de ti e pai de mim?...
Sei que estarás por perto,
abriste os olhos de luz,
escancaraste a alegria de Deus,
ecoaste o universo de vida!

Agora, És Tu!
Agora,
conheces a sabedoria que esqueceras,
agora és Alma livre!

O pai que se "perde" não morre!
O pai que se "perde"
vive a liberdade que perdera
neste palco terreno.


Quero sonhar como sonham os anjos. Como sonham os que partiram, os que precisam voltar e aqueles que jamais voltarão a pisar a terra.
Os pais são os avós de amanhã e estes as crianças de hoje. Pena que eu não tivesse, em criança, quem me ensinasse a perceber Quem Sou. Pena que os pais de hoje não ajudem os que entram nesta vida a perceber Quem São.
Dizem que uma criança indigo se lembra perfeitamente Quem É e donde vem.
Dizem que os pais duma criança indigo tentam explicar que isso são parvoices de criança e procuram incutir na criança aquilo que lhes foi ensinado a eles próprios.
Quero sonhar que um dia tudo vai ser diferente!


Pai que sou, que não tenho já.
Deixaste um rasto na saudade, na recordação do que ainda é palpável, na esperança dum reencontro, nos sonhos fugidios, inquietos, perdidos de razão.
Quando um dia o cordão se desligar, é bom ter pai de novo!
É bom saber que é dele a luz que acena, no meio das dúvidas em turbilhão...

15 Comentários:

At março 19, 2009 12:10 da manhã, Blogger frAgMenTUS diz...

Excelente homenagem em visão tripla de Pai - pai - avô, e com refª ao tema das crianças indigo. (um dos meus chakras é dessa cor)

Adorei...bj

 
At março 19, 2009 12:23 da manhã, Blogger alice diz...

um belíssimo poema, que de vários ângulos fala sobre um pai ausente, um pai presente, um pai amigo, um pai fundamental. estive mesmo para escrever uma carta ao meu pai n'a tradução mas não consegui... há temas difíceis que nem todos conseguimos escrever... um beijo, amaral.

 
At março 19, 2009 1:58 da manhã, Blogger Ana diz...

Para o pai que és a minha homenagem.
Um abraço, Amaral.

 
At março 19, 2009 3:12 da manhã, Blogger Poemas e Cotidiano diz...

Querido Amaral,
Que belo escrito! Li com toda a atencao e o coracao, como faco sempre quando venho aqui. Sabe por que? Pela sua alma. Voce eh uma pessoa linda, Amaral. Escreve de uma forma tao proxima, tao realistica, tao profunda e verdadeira.
Eu simplesmente AMO cada comentario que voce deixa no meu Blog, porque a simplicidade eh a sua marca. Quando leio, parece que voce esta conversando comigo.
Que linda homenagem, meu amigo! Sabe, meu pai morreu em 2002, e me lembro bem a ultima vez que o vi.
Ele estava sentado na area da casinha dele, e eu sentada no chao. Ele estava com uma caixinha cheia de fotos, e lembrancas, e me mostrava uma por uma. Queria saber "onde morava o tio Joao dele"...(havia morrido ha tantossss anos). E eu ficava olhando cada foto. Pedi uma para ele para eu trazer para cah e escanear. Nossa! Ele ficou muito bravo. "Nao! ninguem me tira essas lembrancas. Quando eu morrer, elas sao suas".
Quando ele morreu eu recebi aqui a caixinha... de vez em quando eu vou la e mexo em todas as coisinhas...e fico a imaginar aquele dia, que eu nao sabia que seria a ultima vez que o veria.
Sabe Amaral, eu sei que existe um mundo espiritual, e que um dia todos nos encontraremos. E isso conforta, nao eh mesmo? Embora a saudade fisica seja grande.
Meu pai nos ensinou a ter muita forca, muita coragem, sempre foi um homem muito trabalhador, muito dedicado para a familia.

Nossa...viajei no que escrevi. Mas quis lhe dizer isso antes de dormir.

Boa noite querido Amaral. Eu adoro vir aqui nesse cantinho, onde sempre recebo tanto calor humano da sua pessoa, impregnado em cada palavra que voce escreve.
Voce eh uma pessoa muito especial.
Um beijo carinhoso
MARY

 
At março 19, 2009 3:14 da manhã, Blogger Poemas e Cotidiano diz...

PS:
Nao sei se essa eh apenas uma homenagem, ou se seu pai se foi agora.
So quero lhe deixar um abraco muito carinhoso, seja qual for a situacao, ta bom?
Beijos
MARY

 
At março 19, 2009 7:12 da manhã, Blogger Aidinha diz...

Amaral

É de extrema sensibilidade, tudo o que voce escreveu e me parece mergulhado em tristeza.

A morte, queiramos, ou, não, é uma espada sobre as nossas cabeças, nossa única certeza.

Espero que essas crianças índigo possam nos ajudar a entender e aceitar melhor, o mundo, a vida e a morte.

Beijo
Aidinha

 
At março 19, 2009 3:55 da tarde, Blogger Rui Caetano diz...

É o nosso dia...

 
At março 19, 2009 8:03 da tarde, Blogger ' Josi Keller diz...

Oii, desculpa incomodar e tals fazendo propagandas baratas[rsrs]
To divulgando meu blog..
http://josikeller.blogspot.com/
' Os pensamentos voam.. '
" SIM, MINHA FORÇA ESTÁ NA SOLIDÃO. NÃO TENHO MEDO DE CHUVAS TEMPESTIVAS, NEM DAS GRANDES VENTANIAS SOLTAS, POIS EU TAMBÉM SOU O ESCURO DA NOITE.. OLHANDO PRO HORIZONTE, ESPERANDO A LUZ ME ENCONTRAR.. "

Pode da uma passadinha ? Os ultimos postes foram de uma historia com III partes, Antes que termine o dia se chama.
Um linda historia de amor
Valeu..
Desculpa de novo por incomodar..
Abraçooos

.

 
At março 19, 2009 8:11 da tarde, Blogger © Piedade Araújo Sol diz...

uma bela homenagem a todos os pais.

beij

 
At março 19, 2009 10:27 da tarde, Blogger Eli diz...

"... que não tenho já..."

 
At março 19, 2009 10:33 da tarde, Blogger Vera diz...

Um Adeus, ou um até já... Uma saudade que não morre, num sentimento de orfandade quando os perdemos...

Um beijo grande

 
At março 19, 2009 11:20 da tarde, Blogger vero diz...

Uma bela homenagem meu amigo!!!

Beijinhos

 
At março 20, 2009 11:21 da tarde, Blogger Paula Raposo diz...

O Pai que é Pai vive sempre connosco...beijos.

 
At março 21, 2009 12:20 da manhã, Anonymous Ana Paula diz...

Amaral,
Ontem não consegui simplesmente escrever-te.
Mas hoje ao reler este teu texto, confesso que me emocionei, os olhos embargaram numa névoa de dor, saudade, vazio, confusão, desespero...fez-me chorar novamente.
Meu Pai era, meu tudo!
Somente te digo, que sinto a sua falta em todos os minutos da minha vida.
Mil beijos a ti tb Pai.
Fica bem.

 
At março 21, 2009 1:59 da tarde, Blogger ☆Fanny☆ diz...

Querido Amaral!

Que linda homenagem! Emocionei-me muito!
O meu pai ainda está comigo, é uma luz que eu abraço e onde recupero as energias. É um embalo de alma.

O pai que parte jamais se perde, porque ele vive no coração e na alma dos filhos que ficam e que têm amor dentro de si.

Tu és um filho maravilhoso e como pai também és, com toda a certeza!

Um abraço com carinho*

 

Enviar um comentário

<< Home