Lisboa,

domingo, março 08, 2009

queria roubar do teu regaço


queria roubar do teu regaço
as rosas que de mim escondes
são ternuras
são carinhos
são penas fazendo ninhos
mil andorinhas em bandos

7 Comentários:

At março 08, 2009 12:52 da manhã, Blogger Conceição Duarte diz...

Que delícia o aconchego, o carinho. Que delícia amar e encostar no peito do outro e sentir o coração pulsar... por vc!

Mas nem sempre é assim.

Bjus querido, vc é suave para escrever como a música que toca no seu blog e que as vezes eu fico ouvindo repetitivamente, ente, ente,ente...nte..nte...te..te..eee até a última nota do piano!

CON DUARTE

 
At março 08, 2009 1:06 da manhã, Blogger Conceição Duarte diz...

Obrigada, que bom que gostou! São coisas diferentes, a música que ele canta, a sua poesia e a música suave do seu blog.

Tudo lindo. Um em cada lugarzinho.

...seguimos cantando!

bjus

 
At março 08, 2009 3:59 da manhã, Anonymous Ana Paula diz...

"As rosas que de mim escondes..."
São sonhos que sonharam ambos?
Ou desejos que alguém sonhou contigo, solitáriamente?...
Adorei as tuas palavras lindas, fortes e que preenchem um coração triste.
Lindo doce Amaral....lindo demais!
Mil beijinhos no teu coração.

 
At março 08, 2009 4:02 da tarde, Blogger Jonice diz...

Mmmmm... palavras deliciosas...

Beijo, querido :)

 
At março 08, 2009 6:14 da tarde, Anonymous Cöllyßry diz...

É como um beijo,sabe melhor quando roubado...Suave mas intenso.

Doce beijo

 
At março 08, 2009 8:53 da tarde, Blogger Eli diz...

Hehe que "vonito"!

:)

 
At março 08, 2009 9:02 da tarde, Blogger Laura diz...

E chego eu coma fisga, e ponho tudo a voar a cem por hora!... tá tudo bem. a cervejinha preta, da sagres, não me fez mal por ai além... Beijinhos de ternura nesse poema tão lindo que escreveste, mas, (é a cerveja a falar) juro que na falo mais em neta nenhuma, ehhhhh..ciao. moço lindo..

 

Enviar um comentário

<< Home