Lisboa,

domingo, março 01, 2009

reflexão


Todos nós "encaixamos" em muita coisa que nos parece familiar e também "sentimos" que "a nossa verdade" não se ajusta a outras coisas que lemos.
Poderá haver formas de meditação que nos confundem; nenhuma confunde a linguagem que a nossa alma conhece: os sentimentos. O nosso Eu corpóreo habita num mundo físico a três dimensões, mas o nosso Eu superior tem o conhecimento natural de que é transitória esta esperiência, e quando chegar o seu momento, unir-se-à ao Todo a que pertence.
O mundo à nossa volta e Deus (como Tudo O Que Existe) "coexistem", porque, simplesmente, são "tudo o que há". O mundo físico, onde habitamos, os nossos corpos físicos que o habitam, NÃO ESTÃO DESLIGADOS de nada! Ninguém está separado de ninguém! Aquilo que damos a outrém recebemos em troca. A experiência que proporcionamos a outra pessoas, vamos experimentá-la um dia!

A morte é vida em evolução. Morre-se para se continuar a viver. As nossas células sabem isso. O nosso Eu sempre o soube. Nada desaparece com a "morte". O Eu de mim que é imortal irá evoluir biliões de vezes nas mais diferentes formas.
Ninguém "está fora de casa", porque a "casa" é só uma. Poderemos sempre "mudar-nos" de uma sala para outra. Nada é permanente. Tudo muda a cada instante, considerando que tudo está acontecendo "ao mesmo tempo"…
Ser transcendente é próprio do ser humano. É o seu desafio mais grandioso. É na transcendência que ele vai buscar a capacidade de procurar, a cada instante do agora, criar uma versão de si mesmo cada vez mais grandiosa e sublime.
Tudo o que é de natureza superior, aparentemente separado do mundo sensível, desafia a mente humana. Como diz Brian Weiss: "Nós somos eternos. As nossas almas nunca morrerão. Assim, devíamos começar a agir como se soubéssemos que a imortalidade é a nossa benção. Ou, de forma mais simples, devíamos preparar-nos para a imortalidade - aqui, agora, hoje e amanhã e todos os dias do resto das nossas vidas."

4 Comentários:

At março 01, 2009 1:28 da manhã, Anonymous Ana Paula diz...

Olá Amaral
Lindo este teu post.
"Nós somos eternos. As nossas almas nunca morrerão. Assim, devíamos começar a agir como se soubéssemos que a imortalidade é a nossa benção. Ou, de forma mais simples, devíamos preparar-nos para a imortalidade - aqui, agora, hoje e amanhã e todos os dias do resto das nossas vidas."
Esta frase, nossa!, como é completa, imensa, aconchegante e linnda!
Fica bem amigo. Beijo

 
At março 01, 2009 4:18 da manhã, Blogger Eli diz...

A transcendência é chegar a este nível de pensamento!

:)

 
At março 01, 2009 5:37 da tarde, Blogger Poemas e Cotidiano diz...

Querido Amaral!
Que belissimo escrito! Nao podia esperar nada de diferente de voce.
Voce eh tao profundo, tao cheio de conhecimento humano, eu o admiro muito.
Essa frase eu achei muito bonita e verdadeira, entre todas as outras que voce escreveu: "A morte é vida em evolução. Morre-se para se continuar a viver"
Reparou meu amigo quantas "mortes" temos, e continuamos a viver? Da morte, sempre nasce algo NOVO. Eh assim que penso.
Um beijo carinhoso
MARY

PS: Voce eh como eu, quando voce vai no meu Blog eu sei que voce leu tudo que ali escrevi quando comentou. Saiba que eu tambem sou assim.

 
At março 02, 2009 7:20 da tarde, Blogger Paula Raposo diz...

Já estive muito mais longe de entender. Devagarinho, caminho nesse sentido. Beijos.

 

Enviar um comentário

<< Home