Lisboa,

segunda-feira, março 23, 2009

Tolle

Por que razão é a "mínima coisa" que constitui a "maior felicidade"?
Porque a verdadeira felicidade não é causada por uma coisa ou um acontecimento, embora de início assim possa parecer. A coisa ou o acontecimento é tão subtil, tão discreto, que ocupa apenas uma pequena parte da nossa consciência - e o resto é espaço interior, a própria consciência não obstruída pela forma. O espaço interior, a consciência e a essência de quem somos são a mesma coisa. Por outras palavras, a forma das pequenas coisas deixa lugar livre para o espaço interior. E é do espaço interior, da consciência em si não condicionada que a verdadeira felicidade, a alegria do Ser emana. Contudo, para que esteja consciente das coisas pequenas e silenciosas, tem de permanecer em silêncio dentro de si, o que requer uma grande capacidade de alerta. Fique em silêncio. Olhe. Oiça. Esteja presente.
Outra forma de encontrar o espaço interior é tornar-se consciente de estar consciente. Diga ou pense "Eu Sou", sem lhe acrescentar nada. Tome consciência da quietude que se segue ao Eu Sou. Sinta a sua presença, o seu Ser a descoberto, exposto, despido. Este Ser não é passível de ter atributos, como novo ou velho, rico ou pobre, bom ou mau. É o amplo ventre de toda a criação, de toda a forma.

(Eckhart Tolle in 'Um novo mundo')

7 Comentários:

At março 23, 2009 1:22 da manhã, Anonymous Ana Paula diz...

Olá Amaral, boa noite.
Bastante racional este teu post, humm... existem parâmetros dos quais até consigo concordar, outros...deixo em aberto!
Na essência do ser e sentir, em absoluto consigo desprover-me de atributos...algo me caracteriza!
Como Ser, como Existência, como Ana Paula...como o Todo que Sou.

"...Outra forma de encontrar o espaço interior é tornar-se consciente de estar consciente. Diga ou pense "Eu Sou", sem lhe acrescentar nada. Tome consciência da quietude que se segue ao Eu Sou. Sinta a sua presença, o seu Ser a descoberto, exposto, despido. Este Ser não é passível de ter atributos..."

Em todos os escritos, existem verdades e concretos reais, contudo, seria desprovida de essência, se não refutasse algo em que Acredito, que Defendo, que me faz Ser...pensante, emocional e racional.
Não existem verdades absolutas...
Mil beijinhos de carinho!

 
At março 23, 2009 10:37 da manhã, Blogger Secreta diz...

Um post que sem dúvida , nos faz reflectir.
Beijito.

 
At março 23, 2009 12:33 da tarde, Blogger Paula Raposo diz...

Concordo. Beijos.

 
At março 23, 2009 8:07 da tarde, Blogger Brisa do Mar diz...

Somos o que somos...
Pura essência do ser e do sentir!
Às vezes custa-nos perceber que é assim, mas quando temos um problema de saúde, de amor, por exemplo, fazemos sem dúvida uma viagem espiritual e por vezes passamos a dar mais valor ao nosso EU...
Bj e Fica Bem!

 
At março 23, 2009 11:33 da tarde, Blogger Jonice diz...

Tomar consciência da quietude que se segue ao "Eu Sou". Isto está perfeito!
Tenha uma ótima semana, querido. Beijo :)

 
At março 24, 2009 2:01 da tarde, Blogger Siala ap Maeve diz...

Um autor muito especial..."para que esteja consciente das coisas pequenas e silenciosas, tem de permanecer em silêncio dentro de si, o que requer uma grande capacidade de alerta. Fique em silêncio. Olhe. Oiça. Esteja presente."
Tão simples...a verdadeira felicidade reside dentro de nós, e não fora.Se não sorrimos a nós mesmos como poderemos sorrir verdadeiramente aos que nos rodeiam? E como poderemos partilhar esse sorriso?...Felicidade...um sorriso...Amor...aquilo que muitas vezes se toma como o objectivo é afinal de contas o caminho...
Beijo na alma :)

 
At março 24, 2009 4:29 da tarde, Blogger alice diz...

tenho pensado muito que são efectivamente as pequenas coisas que mais contribuem para a nossa felicidade. os pequenos gestos, os afectos, as conversas, nada do que é material tem muito peso, na verdade é uma ilusão... beijinhos.

 

Enviar um comentário

<< Home