Lisboa,

quinta-feira, julho 09, 2009

o paradoxo


Hoje em dia, quando nos apaixonamos por alguém, é muito romântico dizer que, a partir do momento em que a pessoa amada entra nas nossas vidas, nós sentimo-nos completos.

Ora, a finalidade da relação não é termos uma outra pessoa para nos completarmos, mas sim termos uma pessoa que partilhe connosco a nossa natureza de sermos completos.

Nesta dualidade, encontra-se o paradoxo de todos os relacionamentos humanos:
Você não tem necessidade de ninguém em particular para que se possa experienciar, integralmente, naquilo que você é,
e ....
Sem essa pessoa, você não é nada.

Este é, ao mesmo tempo, o mistério e a maravilha, a frustração e a alegria da experiência humana.
De cada homem, de cada mulher, exige-se uma profunda compreensão e total disponibilidade para viver dentro deste paradoxo, de uma forma que faça sentido.

Os muitos e complexos problemas sociais das sociedades actuais não ajudam a aprofundar esta compreensão, mas é nos momentos difíceis que o ser humano se transcende.
E é nessas alturas que a realidade e o sonho se confundem, trazendo à superfície a força interior que andava adormecida - trazer para a superfície a consciência da grandeza que é partilhar a plenitude da experiência humana.

6 Comentários:

At julho 09, 2009 7:38 da tarde, Blogger Jonice diz...

O calor de tuas palavras trouxeram mais uma alegria neste dia lindo e chuvoso, Amaral :)

Como gosto de ler estas linhas do paradoxo! Nossa sociedade e suas regras não priorizam o auto-conhecimento e assim a compreensão e disponibilidade profundas das quais tu falas tornam-se eventos difíceis entre as pessoas. Permite-se que mil e uma coisas pareçam mais importantes do que elas, quando na verdade, sendo que todos e cada um de nós quer amar e ser amado, elas são as verdadeiras estradas do e para o amor. Como gosto de ler estas tuas linhas!

Bom fim de semana, querido :)

Beijo

 
At julho 09, 2009 8:11 da tarde, Blogger Paula Raposo diz...

É mesmo um paradoxo. Se para nos completarmos precisássemos de outra pessoa, isto então iria ser uma caminhada muito mais frustrante!! Beijinhos.

 
At julho 09, 2009 10:10 da tarde, Blogger Je Vois la Vie en Vert diz...

"Amar, não é olhar um para o outro mas olhar na mesma direcção "

dizia Antoine de Saint-Exupéry

Beijinhos da

Verdinha

 
At julho 10, 2009 9:52 da manhã, Blogger Secreta diz...

Um excelente assunto para reflectir... já que nunca tinha pensado nisso.
Beijito.

 
At julho 11, 2009 7:57 da tarde, Blogger ☆Fanny☆ diz...

Eu diria que é a ausência de partilha que torna uma relação doente.

Se houvesse partilha não haveria tanta solidão...essa solidão que nos afunda no precipicio da tristeza.

 
At julho 14, 2009 1:18 da tarde, Blogger Siala ap Maeve diz...

Amaral, antes de amarmos alguém temos que nos amar a nós mesmos profundamente. Só completos podemos partilhar a maravilha que é o Amor com outro alguém ;)
Beijos meus

 

Enviar um comentário

<< Home