Lisboa,

terça-feira, agosto 11, 2009

és tu


Cortei a lua em mil bocados
tisnei teus olhos com eles
colei neles um sorriso
fiz-me loucura atrás deles

O mundo pode fugir
o sol deixar de brilhar
mas o teu brilho de sempre
é meu bornal pra levar

Ponho a lua em seu lugar
no assobio do teu peito
ver-te assim faz-me sorrir
assim feliz desse jeito

Chamo ao sol o riso eterno
chamo o teu passo distante
nas cores do arco-iris
sonho contigo esse instante


És feliz assim por isso
és bordão pra me apoiar
és tu a brisa da praia
a onda que vem do mar

(Amaral Nascimento)

3 Comentários:

At agosto 11, 2009 12:45 da manhã, Anonymous Ana Paula diz...

Olá Amaral...
Que lindo, este teu chamamento!
Adoro sorrir, enquanto leio estas tuas palavras mágicas e tão cheias de vida!
Adorei!
Fica bem.

 
At agosto 11, 2009 2:12 da manhã, Blogger prAia em Mim diz...

está fluido, terno, simples e as 2 últimas frases, não sei porquê, mas identifiquei-me (rindo)...e tb a refª à lua! bj

 
At agosto 11, 2009 4:00 da tarde, Blogger Paula Raposo diz...

É isso, Amaral! É isso que eu espero e não espero...que seja. Uma luz. Uma esperança. Um fluir. Um desejo. O sempre eterno. Beijos.

 

Enviar um comentário

<< Home