Lisboa,

sexta-feira, novembro 13, 2009

lua cheia


Onde estás ó lua cheia
que não te vejo a cantar
cantaste ao sol todo o dia
de noite finges chorar


Dizem os livros que a nossa mente vai construindo o mundo que queremos "ver"... As nossas vidas são o resultado daquilo que pensamos e daquilo que vamos desejando...
Oh, lua, que um dia estás cheia e no outro vazia!...
Um sonhar sem pesadelos é abraçar uma lua cheia de vida e de luz. Apetece agarrá-la e tomá-la nas mãos, criar com ela momentos de esplendor, visões de glória, conhecer a verdade que as aparências escondem.
Lua cheia é alegria. Tem um riso que ri das manchas que o sol salpica. Lua que o coração reparte, que partilha o beijo e agiganta o amor...
Amar livremente é dar vida à alegria. É destapar a força e ver a energia surgir como essência natural da vida. Aquela que a Unidade revela como impossível de existir separada em todas as coisas deste universo.

2 Comentários:

At novembro 13, 2009 12:15 da tarde, Blogger Paula Raposo diz...

Gostei de te ler nesta Alegria lunar...beijinhos.

 
At novembro 18, 2009 2:25 da manhã, Blogger . diz...

Encantada com o que escreves...
abraço
Mell

 

Enviar um comentário

<< Home