Lisboa,

terça-feira, março 16, 2010

a mulher que me amou


A mulher que me amou
tem o perfume na voz
tem o rosto do cetim
uma estrela no olhar
é mulher que sabe ser
de sorriso encantador
com rosas frescas no manto
é princesa e é fada
dum sonho
que fez encanto

tisnou momentos sombrios
dormitou no arco-iris
fez da paixão a magia
bebeu o sumo do amor
e dançou no arraial
brincou pulando na praia
dava mergulhos no mar
como a sereia feliz
dum sonho
que fez sonhar


A mulher que me amou
não existiu
nem existe
vive na imaginação
nesta magia de sonho
presa nos dedos da mão

A mulher que me amou
não existiu
nem existe
é só um sonho ao luar
uma conversa apenas
com a espuma do mar

(Amaral Nascimento)

2 Comentários:

At março 18, 2010 3:30 da tarde, Anonymous Anónimo diz...

eu vou degolar a sua garganta

 
At maio 08, 2010 9:27 da tarde, Blogger Vera Cymbron diz...

Saudades de ler-te, tenho voltado aos poucos... agora estou na procura do que perdi.
Jinho

 

Enviar um comentário

<< Home