Lisboa,

quarta-feira, março 03, 2010

o mundo de faz de conta


Não existe senão uma Alma Única, contudo, existem muitas expressões. Estes aspectos individuados da Alma Única procuram sinergia, harmonia, expressão gloriosa e expansão. Este é o outro modo de dizer que a vida em todas as suas formas procura exactamente a mesma coisa que a própria Vida procura. Como podia ser de outra maneira?
No entanto, a alma e a mente são duas coisas diferentes. A "forma de vida" que você assumiu tem sinultaneamente uma alma e uma mente (bem como um corpo), e é nesta totalidade trina e una que se equipa plenamente para fazer o que você veio aqui - à vida física - fazer.
Compete à mente assegurar que o corpo - o seu instrumento ou ferramenta física - é mantido seguro, para que você o possa usar para fazer o que aqui veio fazer. Compete à alma assegurar que a mente sabe sempre o que você aqui veio fazer, e não se deixar apanhar no seu próprio mundo de faz-de-conta.
É como ser apanhado numa realidade virtual na Internet. Estou certo de que deve saber que existem agora "mundos" inteiros na Internet nos quais você pode entrar, reclamar uma identidade e viver uma "vida" inteira - crescer, descobrir o amor, criar uma carreira, comprar uma casa, ter uma família, experienciar sucesso e ficar rico (ou não)... pode mesmo criar uma experiência total de vida nessas realidades virtuais, interagindo com outros, subscrevendo contratos legais - é tudo realmente muito detalhado, sofisticado e complexo. E nada disso é real. Obviamente, nem a mais ínfima parte está realmente a acontecer-lhe a Si. Está apenas a acontecer ao "eu" que Você criou nesse mundo de faz de conta.
Para a sua alma, a vida física na terra é praticamente a mesma coisa.

(Neale Donald Walsch in Aproveitar a Mudança)

4 Comentários:

At março 03, 2010 1:44 da tarde, Blogger Paula Raposo diz...

Concordo.
Beijos.

 
At março 03, 2010 9:58 da tarde, Blogger Ana Paula diz...

Olá...
Complexa esta sinergia eterea.
Levamos algum tempo a despertar, não é mesmo?!
Que fazer quando a confusão....nos faz regredir na caminhada?
E o esquecimento....do sentido, do rumo. Como rectificar o desvio?!
Aiii....são ainda tantas as perguntas.
Tento focar....mas por vezes disperso, baralho-me.
Rs...sorrio, para não desesperar, tantas vezes.
É sempre bom vir aqui beber alguma tranquilidade e sabedoria...
Reconhecimento sensorial...hum, quem sabe, não é mesmo?
Beijos de Luz.

 
At março 03, 2010 10:07 da tarde, Blogger MM - Lisboa diz...

A alma tem razão. A nossa vida na terra, não passará por certo de algo de virtual - um jogo, uma espécie de mundo recriado e nós somos uma sombra ou cópia ou backup que pode ser destruído sem que ao real mal algum aconteça. São apenas cenários de um jogo de computador em que nós, as personagens, morremos mas aprendemos algo e quando voltamos ao jogo já conseguimos atingir um nível mais elevado e, isto repete-se.. até, finalmente atingirmos o final do jogo (o nirvana, será?)
É sempre bom filosofar contigo Amaral. Jinhos.

 
At março 08, 2010 8:48 da tarde, Blogger Cláudia diz...

Já estive com o livro na mão, e agora que vim beber um pouco do seu conteúdo, vou atraí-lo para perto de mim.Porque a alma quer, e a mente obedece...

 

Enviar um comentário

<< Home