Lisboa,

segunda-feira, novembro 15, 2010

saber-te amar


Como vou
saber-te amar,
nesse teu peito
que me acorda,
e me grita
no silêncio,
que se esconde
numa essência
sei lá onde?

Como vou
secar a lágrima
que faz luz
nesse teu rosto,
e te abraza
e te deleita,
que é lua e é mar
e só conhece
o verbo amar?

Como vou
olhar o vento,
como vou
chamar teu nome,
perscrutar o firmamento,
e sorrir
sorrir de novo
no sorriso que alimento?

(Amaral Nascimento)

3 Comentários:

At novembro 15, 2010 11:47 da tarde, Blogger Maria diz...

Convido a participar no meu blog com textos, reflexões, depoimentos ou questões http://maria-haagen-dazs.blogspot.com
Até dia 20 de Novembro está aberto o consultório de tarot no qual poderá também participar.
Um grande beijo,
Maria.

 
At novembro 17, 2010 1:48 da tarde, Blogger Ana Paula diz...

Olá doce Amaral, espero que estejas bem.
Acreditar no sorriso, por si só já é mágico.
Por vezes, não resta outra opção que não seja, sentirmos sozinhos.
Mas....na essência, saberemos que não o estamos, verdadeiramente.
Lindo demais o teu poema.
Beijo

 
At dezembro 08, 2010 1:00 da tarde, Blogger Paula Raposo diz...

Gosto...
Beijos.

 

Enviar um comentário

<< Home