Lisboa,

sexta-feira, maio 20, 2011

um sonho




E é este o meu sonho,
aquele que me leva e enlaça
aquele, onde podemos docemente ser conduzidos
ao enorme azul celeste,
em que me mostras o trono majestoso e intemporal,
aquele, que um dia quero partilhar do teu lado.
Lá, onde a face não tem olhos,
onde o sorriso é eterno
e onde podemos nos amar, sem medo do depois,
pois que o sempre e o agora, são linha ténue
sem força de ser.
Faz-me ouvir a tua voz!
Faz-me saber-te... neste agora e ainda aqui!
Desejo ver-te!
Desejo saber-te!
Por vezes, assola-me o medo de te perder.
Fica perto de mim!
Deixa-me ir adormecendo,
noites sem fim, sabendo que te reencontrarei
no amanhecer, sereno, tranquilo e completo,
sem nunca imaginar que um dia te perderei.





(retirado de "Extractos de um sonho")

2 Comentários:

At maio 20, 2011 12:38 da manhã, Blogger A P diz...

Olá...Amaral.
(rsrs)....tenho que sorrir, um riso que apazigua, um sorriso que preenche...perante tanta magia e desejo tão lindo!!
Tu sabes que enterneces quem te lê!...sabes que tocas com as palavras, dores e incertezas, desejos e sonhos, medos e melindres, saudades e distancias.....e principalmente o sentimento mais lindo e maior de todos...Amor, de todos que por aqui passam.
Gostei amigo, muito mesmo.
Beijinho e, fica bem.

 
At maio 20, 2011 11:32 da tarde, Blogger MM - Lisboa diz...

Quando a beleza é tamanha,
as palavras não são necessárias!
Fico-me por um silêncio de admiração!
Jinhos

 

Enviar um comentário

<< Home