Lisboa,

quarta-feira, maio 22, 2013

o amor

Quando se trata de amor, ninguém obriga ninguém. O universo não pode conspirar, quando o Amor é intérprete no palco da Vida.
O Amor não obriga, não obedece a desejos, não julga, não faz escolhas a favor desta ou daquela alma, não interfere.
O Amor é liberdade!
O amor é um pavio que se acende no Amor que é Deus dentro de nós.
A Vida que nos movimenta e nos faz conscientes insuflou em nós a dádiva que permite recriar o amor nas suas variadas vertentes.
A liberdade que nos foi dada para podermos escolher quem queremos amar é a liberdade mais sublime.
O universo não interfere, mas abre portas e janelas, escancara situações, ilumina previsões e acontecimentos.
O universo é o amigo desinteressado.
É o parceiro do observador, é seu cúmplice e seu benfeitor. Não ordena nem complica. Não faz e desfaz.
O universo é luz que observa e luz que rejubila.

2 Comentários:

At maio 28, 2013 1:31 da manhã, Blogger Menina Marota diz...


O amor é o amor - e depois?!
Vamos ficar os dois
a imaginar, a imaginar?..

O meu peito contra o teu peito,
cortando o mar, cortando o ar.
Num leito
há todo o espaço para amar!

Na nossa carne estamos
sem destino, sem medo, sem pudor,
e trocamos - somos um? somos dois? -
espírito e calor!
O amor é o amor - e depois?!

Poema de Alexandre O´Neil,
in "Poesias Completas"

Um abraço

 
At julho 04, 2013 10:29 da manhã, Blogger IsaMaria diz...

o amor é fogo que arde sem se ver....é tudo o que este poema diz.
www.folhasdepapelonline.blogspot.com

 

Enviar um comentário

<< Home