Lisboa,

quinta-feira, novembro 29, 2007

já tenho mão pra tocar


Já sinto o sonho sorrir
já o sorriso sorriu
não é um sonho a dormir
foi a vida que floriu

Já alguém me dá a mão
já tenho mão pra tocar
no meio da multidão
já ouço um eco a vibrar

É um olhar que já vê
são ouvidos que já ouvem
com uma razão e um porquê
só sentimentos se movem

Para trás ficou da vida
outra vida sinto em frente
custou menos a saída
lá no fundo sinto gente

Quem sempre supôs que o céu
fosse um lago verdejante
digo-vos agora eu
é muito mais deslumbrante


(Amaral Nascimento)

quarta-feira, novembro 28, 2007

esta tarde


Esta tarde, a praia da Costa da Caparica estava uma autêntica maravilha.
A brisa quase nem se sentia, o mar estava lá longe, deixando a descoberto um areal imenso, o Sol estava agradável e para além de algumas pessoas que passavam, só as gaivotas aproveitavam esta tarde explêndida.
Assim mesmo, neste final de Novembro, com o Natal já aí à espreita...

terça-feira, novembro 27, 2007

eternos

Todos nós "encaixamos" em muita coisa que nos parece familiar e também "sentimos" que "a nossa verdade" não se ajusta a muitas coisas que lemos.
Há formas de meditação que parecem confundir-nos; nenhuma confunde a linguagem que a minha alma conhece: os sentimentos. O meu Eu corpóreo habita num mundo físico a três dimensões, mas o meu Eu superior tem o conhecimento natural de que é transitória esta esperiência, e quando chegar o Seu momento, Ele unir-se-à ao Todo a que pertence.
O mundo à nossa volta e Deus (como Tudo O Que Existe) "coexistem", porque, simplesmente, são "tudo o que há". O mundo físico, onde habitamos, os nossos corpos físicos que o habitam, NÃO ESTÃO DESLIGADOS de nada! Ninguém está separado de ninguém! Aquilo que dou a outrém recebo em troca. A experiência que proporciono a outra pessoas, vou experimentá-la um dia!

A morte é vida em evolução. Morre-se para se continuar a viver. As nossas células sabem isso. O nosso Eu sempre o soube. Nada desaparece com a "morte". O Eu de mim que é imortal irá evoluir biliões de vezes nas mais diferentes formas.
Ninguém "está fora de casa", porque a "casa" é só uma. Poderei sempre "mudar-me" de uma sala para a outra. Nada é permanente. Tudo muda a cada instante, considerando que tudo está acontecendo "ao mesmo tempo"…

Ser transcendente é próprio do ser humano. É o seu desafio mais grandioso. É na transcendência que ele vai buscar a capacidade de procurar, a cada instante do agora, criar uma versão de si mesmo cada vez mais grandiosa e sublime.
Tudo o que é de natureza superior, aparentemente separado do mundo sensível, desafia a mente humana. Como diz Brian Weiss: "Nós somos eternos. As nossas almas nunca morrerão. Assim, devíamos começar a agir como se soubéssemos que a imortalidade é a nossa benção. Ou, de forma mais simples, devíamos preparar-nos para a imortalidade - aqui, agora, hoje e amanhã e todos os dias do resto das nossas vidas."


sábado, novembro 24, 2007

lyra da barca

Lyra, há quanto tempo!!!!
Há quanto tempo não deixas aqui uma palavra!
Há quanto tempo não abres os comentários!!!
Há quanto tempo não desabafas nos teus "silêncios", no teu BLOG PRETO!!!
Há quanto tempo, Lyra, deixaste a tua BARCA!!!

Hoje, lembrei-me dela, dos teus silêncios, daquele comentário que decidi transformar num texto aqui, porque, de repente, se tornara lá extenso demais...
Vou-te lembrar!

Posted by Lyra at 4:29 PM 25 do dia 4.1.07

o som
o vazio
o espaço
e o frio
o gosto
a cor
a dor
e as palavras

do silêncio.


Quando li este poema, fiquei silencioso!... Comecei a escrever um comentário, e assustei-me com o tamanho que ele tomara e trouxe-o para aqui, deixando lá um pedido para o fazer. No dia seguinte, publiquei, tal como aqui está:

Obrigado, Lyra, por permitires que eu medite um pouco contigo. Com este teu... poema!
Então...

Todo O SOM está a ser criado. A nossa cabeça está sempre a ouvir sons e nós habituámo-nos aos sons. Mas dizem que há um som que poucas pessoas conseguem ouvir: é o som sem som! Aquele que não é criado pelo ser humano, aquele som que nos conduz à serenidade e à paz interior.

O VAZIO não contém nenhum objecto que possamos agarrar. Ali não há nenhum pensamento a incomodar-nos. Nem desejo. Todo o movimento mental pára e uma paz repentina explode dentro de nós. Estamos novamento dentro da mesma serenidade...

O ESPAÇO inspira cientistas e poetas. O cientista procura sempre algo na imensidão do espaço. O poeta inspira-se no espaço interior, onde a forma física ocupa uns míseros 0,1 por cento do nosso corpo. Eis por que o poeta está sempre procurando a sua musa, exactamente naquele espaço onde o ego não penetra...

E O FRIO? Na ausência do calor, a ideia do frio é um conceito sem significado. Eu preciso de conhecer o frio para colher a experiência extraordinária do que é quente. Frio e quente fazem parte duma verdade do próprio Universo.

O GOSTO mistura-se numa onda de sensações que os sentidos apreendem. Mas o gosto é sempre relativo e também provoca emoções, bem-estar, prazer... Sempre se gosta dum gosto!... E quando ele é gostoso, ainda mais!...

A COR do céu azul é encantadora. Quando estamos a olhar o céu, e quando não deixamos que algum pensamento nos perturbe, verificamos que o azul se torna infinito e não termina nunca... Olhamos, olhamos, sem criar palavras, sem criar adjectivos, e o nosso olhar, puro e inocente, penetra no interior do azul e encontra um vácuo imenso onde encontramos a nossa própria consciência... De repente, a cor transformou-se na tal tranquilidade cheia de paz...

A DOR faz parte da ilusão. É o facto de pensarmos que ela é real que provoca a dor. Nada é doloroso quando se compreende que não é real. E a dor não tem de provocar sofrimento. Aceitar a dor, faz parte da consciência que tivermos do nosso estado de ser durante esta vida terrena...

E AS PALAVRAS
DO SILENCIO
, essas, são as mais procuradas. O silêncio é a linguagem de Deus. Ao tomarmos consciência do silêncio penetramos dentro de nós, num local onde não existe nem o pensamento nem o ego...


Eis-nos no fim da nossa meditação!...
O teu poema, simples e puro, deu origem a este momento especial.
Espero que tenhas encontrado "neste momento" o som mais doce que é o som do silêncio. Aquele que é a canção da alma.


Obrigado, de novo, Lyra, porque tornaste possível este outro momento para, neste mundo virtual, mas em conjunto, podermos meditar agradavelmente!...

sexta-feira, novembro 23, 2007

tiago nené

24 de Novembro (16 horas): Apresentação do livro de poemas "Versos Nus", na Fnac do Algarve Shopping

Tenho que admitir que não conheço o Tiago Nené, nem nada escrito por ele.
Mas ele pede-me um post para a divulgação do seu livro de poemas "Versus Nus" e eu, na minha pequenez blogosférica, posso até dar-lhe este espaço.
Com todo o gosto, aqui fica o anúncio de que, no dia 24 de Novembro, às 16 horas, na FNAC do Algarve Shopping, vai ser feita a apresentação de "VERSUS NUS", o seu primeiro livro de poemas.

Que tenhas toda a sorte do mundo com esta tua experiência literária, e que ela te traga muitos êxitos e muitas alegrias.

piscar o olho


Um dia voarei o voo
que um sonho me fez voar
um dia serei quem sou
outro dia será sonhar

Quebrado que foi o galho
rolei no galho p'lo chão
bebi o sumo do orvalho
p'la concha de cada mão

Sou o espelho de mim
sou o espelho do amor
sou o amor do jasmim
o jasmim de quem é flor

Vou piscar o olho à vida
vou ver a vida florir
se não souber que saída
não vou saber que sorrir

Quando um dia o céu se abrir
quando o minuto findar
quero sem armas brandir
a vitória do chegar

(Amaral Nascimento)

quarta-feira, novembro 21, 2007

planeta em perigo


O Universo tem as suas leis próprias, que asseguram o equilíbrio do espaço visível e todo aquele que se imagina para além da nossa compreensão.
Neste planeta, ainda azul, vamos vivendo, mas sempre actuando numa forma destruidora constante.
A área de floresta é cada vez menor, o ar está cada vez mais poluído, os mares já não têm a qualidade de outrora e as espécies animais vão-se extinguindo, por cada época que passa.
O planeta está diferente. Está cada vez mais pobre. Cada vez menos habitável.
A pergunta pode parecer idiota: "mas será que este mesmo planeta não estará a defender-se, quando verificamos todos estes fenómenos naturais a que o homem não estava habituado?"
Será que estas alterações climáticas e estas tempestades e secas e tornados e tsunamis não são a resposta que o planeta está a dar para evitar a sua própria destruição?
Será que o Criador não muniu o mundo que criou de defesas naturais que possam prevenir e evitar a sua destruição?
O planeta pode estar em perigo, mas tudo indica que ele "saberá" defender-se, quando se sentir verdadeiramente ameaçado...


segunda-feira, novembro 19, 2007

quando sorris


Quando sorris,
as aves param o seu voo
e ficam reclamando
que são as estrelas
do céu...

Quando sorris,
abrem-se as portas do sol
e ouvem-se os anjos dançando
na pista eterna
de luz...

Quando sorris,
o silêncio canta o amor
e as borboletas entrelaçam as asas
bordando um tapete
de côr...


(Amaral Nascimento)

sexta-feira, novembro 16, 2007

fátima e as obras de Deus


A Fátima dizia-me como comentário: "Deixo-te uma questão para refletires:- Se o homem tem como "dever" continuar as obras de Deus, porque destroi tanto e faz tanta miséria?"
Sabes, tal como eu, que Deus nos deu o instrumento mais importante e inimaginável: a liberdade, o livre-arbítrio, a possibilidade de escolhermos, SEM NOS CASTIGAR pela opção que viermos a tomar.
Eu sei que já estou a ser controverso! Então, Deus não castiga quem pratica o mal?
Pois é, será que castiga?...
Será que Deus, o Todo Poderoso, o Criador dos Céus e da Terra, o Senhor do Universo que tudo vê e tudo sabe - será que este Deus criou o ser humano, colocou-o neste mundo terreno, deu-lhe livre-arbítrio para viver... e depois castiga-o, se ele não praticar o bem, se ele não obedecer aos seus mandamentos?...
Que Criador seria Esse?... Que criação tão pouco perfeita seria essa?... Que justiça poderia haver em tal propósito?....
O ser humano tem o problema de "idealizar" Deus, de acordo com a sua lógica racional. E quando assim acontece, "cria" um Deus à sua medida! Deus acaba por servir interesses, crenças, propósitos que justificam desentendimentos, ódios, guerras...
Mas a questão inicial mantém-se. Se o homem é co-criador, com Deus, porque destrói e causa tanta miséria?
Se é difícil de entender isto, muito mais difícil é aceitar uma justificação.
Antes do mais, o "bem" e o "mal" são conceitos humanos, que variam de geração para geração. Sendo apenas conceitos, aceitemo-los e pensemos neles apenas como "opções" que tomamos para alcançarmos um determinado resultado. Não é boa nem má uma determinada acção. Ela é eficaz ou não, para eu conseguir o que quero.
Mas o homem destrói e provoca miséria. Pois destrói e, sim, provoca miséria.
A dificuldade é entender porque isso acontece. Por um lado, Deus "nada tem a ver com isso"! Ele deu-nos o livre-arbítrio e "não pode" insurgir-se nem castigar-nos por uma coisa "que nos permite fazer"!
Afinal, foi o Criador que imaginou este mundo relativo, onde a dualidade existe como realidade incontornável.
Sem a miséria, nunca o homem poderia ter a extraordinária experiência da riqueza. Só reconhecendo o valor do que é "ter qualquer coisa", o homem pode dar valor à inexistência "dessa coisa"...
Isto pode justificar a destruição e a miséria?... Talvez não! Mas só a evolução da consciência permite elevar o ser humano a níveis mais perfeitos...
Mas, também é com a miséria e com a destruição que espiritualmente se progride. Talvez mais rapidamente.
O Processo divino está separado de tudo isto que estamos a falar?... Não creio!... O Processo é uma roda cósmica, onde tudo cabe!
E porque não pára, é um Processo que não tem fim.
É eterno, como eterna será a Criação...

quarta-feira, novembro 14, 2007

Chahy e o homem tonto


Chahy deixou-me, há dias, um comentário curioso, onde dizia que "o homem é tonto o suficiente para achar que consegue suplantar Deus, na arte da criação."
Deixem-me dizer-vos o que penso.
Suplantar Deus!...
A ideia não é somente absurda. A ideia é, racional, espiritual e absolutamente impossível.
É impossível suplantar Deus no seu processo criativo, justamente porque nada existe para além desse processo.
Só quem pensa e acredita que o homem e Deus estão separados um do outro é que poderá fazer uma afirmação semelhante. Para suplantar a criação de Deus teria de "haver" algo ou alguém que, exterior a Ele, ousasse criar alguma coisa que se Lhe compare.
Naturalmente, o homem está todos os dias e, em todos os momentos, participando no acto da Criação.
Basta olharmos à nossa volta, para as grandes obras de arte expostas aos nossos olhos, para as grandes evoluções tecnológicas, em todas as áreas, para as grandes obras literárias, etc., etc..
O homem é um ser criativo, por natureza!
Mas...
O Grande Criador assim criou o homem que é, como... uma extensão de Si.
Deus é um Processo Criativo, eterno e infinito.
O homem é uma manifestação de Deus.
Deus e o homem "são a mesma coisa"!
Só há Deus, nada mais!
O homem foi criado por Deus, para que Deus pudesse dar largas ao Seu Processo Criativo.
O homem faz parte desse Processo.
Deus "serve-Se" do homem para criar, com Ele, a maravilhosa e mais surpreendente experiência de "SER DEUS"!
Consciente ou inconscientemente, o homem está a criar para Deus!
Mais inconsciente que conscientemente, o homem é um instrumento de Deus, uma manifestação física e espiritual, um "bocado" de Si, vivenciando individualmente num universo que Deus imaginou para... "SE EXPERIENCIAR COMO DEUS"!
O homem não é tonto porque, quer queira, quer não, participa na arte da Criação Divina, porque Deus assim o quer.
O Processo não vai parar nunca, quer o homem queira, quer não!
Porque Deus é TUDO O QUE EXISTE.
Nada existe que ELE não seja. E tudo o que alguma vez foi criado... foi criado por DEUS.

terça-feira, novembro 13, 2007

choro a flor



Choro a dor
que sempre doi
naquela ânsia de ser
choro a tristeza que rói
choro o chorar da criança
no instante de nascer

Choro a flor
que vou colher
da floreira colorida
choro o sono do morrer
choro o chorar do defunto
no seu adeus desta vida

Ainda que o chorar
seja triste
ainda que triste o partir
dou graças pl'o que existe
dou graças ao Deus de mim
pl'o muito que vim sorrir


(Amaral Nascimento)

segunda-feira, novembro 12, 2007

tudo está criado


No meu templo da almofada que a noite embala, vou desfiando ideias que se amontoam.
Olhando para trás, para as últimas centenas de anos, constatamos que a evolução, a todos os níveis, vem acontecendo muito rapidamente.
O ser humano "não perde tempo". Todos os dias descobre coisas novas, métodos novos, soluções novas para todo o tipo de problemas que vão surgindo, uns atrás dos outros. No campo da medicina, das ciências, da informática, da astronomia - em todos os campos - nada está como os nossos avós nos deixaram.

Mas, afinal, até que ponto o cérebro humano pode ir? Mesmo os desafios mais complexos e difíceis de resolver estão a ser investigados com a firme esperança de, a curto e médio prazos, eles estarem resolvidos.
O mundo físico exterior a cada um de nós parece não ter limites.
Como se tudo não fosse senão o resultado duma ideia ou dum conjunto de ideias.
Como se o mundo fosse simplesmente "aquilo" que eu, tu, nós pensamos que é.
Como se a realidade exterior que os sentidos apreendem resultasse apenas dum conjunto de pensamentos harmonizados por uma força invisível.

O universo é um viveiro de circunstâncias, de situações, de forças de energia sem limites, fora do espaço e do tempo.
Todo o pensamento é energia que não se perde, por mais simples que ele seja.
Tudo está criado!
Nada há para criar de novo, quer seja um acontecimento, um ideia, uma solução, uma descoberta.
Tudo está criado no universo infindo da criação.
Todas as coisas que desejamos manifestadas na vida individual de cada um de nós, estão ali cobertas por uma leve neblina, quase imperceptíveis, à espera que qualquer um de nós as "descubra" e as manifeste na sua realidade do momento aqui-agora.
E porque tudo está criado, qualquer invenção do homem não passa duma "observação" ou "rememoração" daquilo que se pretende e que o universo deixa "observar"...
Todo o problema que se depara ao ser humano tem uma solução incrustrada no contexto do universo, à espera que seja "observada" por alguém...

Tudo está já criado! Nada mais há para criar!
Apenas temos que recordar o que esquecemos, observar o que desejamos, tomar o que precisamos.
O universo tem a solução! Para tudo! Para todos!


sábado, novembro 10, 2007

luz de Deus


A cada momento, o Universo está programado para nos dar uma nova vida, para começar de novo, para criar novas oportunidades, para curar miraculosamente determinadas situações, para transformar todas as trevas em luz e todo o medo em amor.
A luz de Deus brilha eternamente imaculada, livre das nossas ilusões.
A nossa missão é respirar fundo, abrandar, abandonar todos os pensamentos do passado e do futuro e deixar o Instante Sagrado brilhar na nossa consciência.
Deus não se deixa intimidar pelos nosssos pesadelos de culpa; Ele está sempre alerta para ver a nossa beleza.
Foi assim que Ele nos criou e é assim que somos.

(Marianne Williamson in O dom da mudança)

sexta-feira, novembro 09, 2007

endless love


video

(Luther Vandross e Mariah Carey)
My love There's only you in my life
The only thing that's right
My first love
You're every breath that I take
You're every step I make
And I
I want to share
All my love with you
No one else will do
And your eyes
They tell me how much you care
Oh yes
You will always be
My endless love
Two hearts
Two hearts that beat as one
Our lives have just begun
And forever
I'll hold you close in my arms
I can't resist your charms
And love I'd play the fool
For you
I'm sure
You know
I don't mind 'Cause baby
You mean yhe world to me I know
I've found in you
My endless love
And love
I'd play the fool
For you
I'm sure
That you know
I don't mind 'Cause baby
You'll be the only one
'Cause no one can deny
This love
I have inside
And I'll give it all to you
My love, my love, my love
My endless love

quarta-feira, novembro 07, 2007

mais um ano



És um passarinho que voa sozinho há já algum tempo!
Ainda que, de longe,
vou vigiando o teu voo,
não porque temo que caias,
mas para apreciar,
com orgulho,
a tua maneira própria e maravilhosa de voar!




Parabéns por mais um ano de vida!
Pela força e pela confiança que demonstras, estás a alcançar aquilo em que acreditas!

Tudo está criado! Todas as soluções já existem para todos os problemas. Basta que penses nelas e as chames para ti... e elas tornar-se-ão realidade!




Uma vez mais te digo:
CONFIA EM TI,
porque, reconhecendo O Que És,
terás tudo aquilo que quiseres ter!


segunda-feira, novembro 05, 2007

beijo inesquecível


Voaram os ventos
na bruma
carregada de negro

Tentei agarrá-los
com mãos trémulas
mas
finos e céleres
deslizaram pelos dedos
no suave delírio
duma tempestade
inexistente

Ficou o zumbido
pegajoso e agudo
ecoando irritante
por entre as bermas
duma ponta
sem sentido

Foi nesse instante que
joguei fora
a relíquia que
embrulhava em papel fino
no sabor dum
beijo inesquecível

(Amaral Nascimento)

sábado, novembro 03, 2007

cresci em Deus


Cresci em Deus
moro em Deus
sou vida
da Vida Toda.

Já sorri no meu passado
fui primo da maresia
fui um sonho bem sonhado
noite solta em pleno dia

Sou obra dum Deus que é
sou um bocado do mundo
vim do Todo, vim de pé
vou sobre um sono profundo

E mais que a Vida tinha
eu tinha a vida na mão
levo a sina que foi minha
levo a Deus um coração

(Amaral Nascimento)

sexta-feira, novembro 02, 2007

encontro



Almas gêmeas?
Não sei...
tanto faz.
O que importa
é que minh'alma
quando encontra a tua
a paz se faz.
Minha alma fica nua,
revela-se, desvela-se e nisso se compraz.
Mas quando o meu
penetra o teu
corpo,
tudo nele se contrai
tudo nele se distrai
e faz-se
morto
de prazer.

(Chacon, Geraldo. Meu Caderno de Poesia. Ed. Flâmula.)

quinta-feira, novembro 01, 2007

pão por Deus ainda é tradição

Pão por Deus
Pão por Deus
Saco cheio
Vamos com Deus


Na manhã do dia 1 de Novembro esta é uma das cantilenas que mais se costuma ouvir em algumas aldeias portuguesas, onde a tradição do Pão por Deus tem passado de geração em geração. De facto, em Portugal, na manhã do Dia de Todos os Santos, ainda hoje é costume as crianças juntarem-se em pequenos grupos e irem de casa em casa pedir o Pão por Deus.



Tânia Mata de Freitas é uma dessas crianças. Aos 11 anos de idade, a pequena Tânia confessa que na noite do dia 31 de Outubro já nem consegue dormir, tal é a excitação em relação à manhã que se avizinha. "Passo sempre a manhã do Pão de Deus com um grande grupo de colegas. Uns dias antes, combinamos um sítio e uma hora para nos encontrarmos e depois andamos por Vila Verde, com os sacos na mão, a parar em casa casa, para ver se as pessoas nos dão alguma coisa. Como Vila Verde tem origens tradicionais, as pessoas continuam a dar-nos fruta, línguas de gato, bolos secos, rebuçados, pastilhas, gomas e todo o tipo de guloseimas".
O gosto por esta data herdou-o da avó, Júlia Mata, que aos 65 anos de idade recorda como era passada a manhã do dia 1 de Novembro no seu tempo de criança: "Lembro-me de começar a ir ao Pão por Deus a partir dos 5 anos, juntamente com as outras crianças aqui da aldeia. Levantávamo-nos muito cedo, quase nem dormíamos, por que nessa altura as coisas eram muito diferentes, não tínhamos doces como as crianças têm hoje em dia. Só na altura do Pão por Deus é que as pessoas compravam alguns rebuçados e faziam broas saloias para dar às crianças. Para nós, aquele era um dia em tudo semelhante ao do Natal."

Na zona de Sintra é esta a tradição, em muito semelhante à que ainda é praticada noutras zonas do país. No entanto, há algumas "nuances" de região para região. Na zona centro do país, no concelho de Ourém, por exemplo, o dia do Pão por Deus é vulgarmente designado por "Dia do Bolinho", uma vez que a tradição passa por se cozer, em forno a lenha, um bolo típico da época, que depois é dado às crianças na manhã do dia 1 de Novembro.
Hoje, aos 80 anos de idade, Emília Formiga continua a cozer religiosamente o bolinho na noite do dia 31 de Outubro, porque, explica, "na manhã seguinte aparecem sempre cá em casa muitas crianças a pedir o bolinho que, durante aproximadamente uma semana se mantém fresco, não ficando duro e seco, como por exemplo o pão".

(Dica da Semana)